Novo zoológico do Rio, na Quinta da Boa Vista, será inaugurado em julho

Nome do espaço sera BioParque

Enviado Direto da Redação
Para atrair mais visitantes, o BioParque Rio criou uma campanha de planos para sócios

Para atrair mais visitantes, o BioParque Rio criou uma campanha de planos para sócios

Foto: Divulgação

Um dos mais visitados pontos do turístico do Rio de Janeiro será reaberto. O novo zoológico, localizado na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, será reinaugurado em julho. O espaço contará com nova concepção, que beneficia espécies ameaçadas de extinção, como antas e onças pintada. A novidade também está na alteração do nome. O local que antes era chamado de ZooRio, agora será BioParque do Rio.

Em março, o zoológico, que é administrado pelo grupo Cataratas, receberá um evento destinado apenas às autoridades, estudantes e moradores das comunidades da região. Nele, será apresentado as transformações e adaptações do ponto turístico.

Para atrair mais visitantes, o BioParque Rio criou uma campanha de planos para sócios. O plano Arara, para famílias de no mínimo quatro membros, custará R$ 4,99 por pessoa, mensalmente. Já o passaporte Lobo-Guará será individual, a R$ 7,99 por mês.

Além disso, uma parte do zoo será destinada exclusivamente para pesquisadores. Segundo a empresa, o novo setor pretende dar suporte à educação, pesquisa e conservação do ambiente animal. Por isso, está prevista, ainda, uma área de exposição com fotos diversas e outros materiais sobre a fauna.

Neste período de finalização das obras, os animais permanecem em cativeiros e zoológicos de cidades do interior do estado. Até o momento, cerca de R$ 80 milhões já foram investidos pelos responsáveis do projeto.

O conceito do novo espaço

A nova arquitetura do zoológico não contará com grades e, desta forma, as espécies poderão interagir entre si. Além disso, o novo zoo ganhará uma minifazenda.

O parque também terá a área de Savana, para a realização de safáris por um rio artificial com 400m de extensão, onde será possível ver espécies como zebras, gnus e girafas, que poderão ser alimentadas pelos visitantes. Os espaços dos animais também serão ampliados para maior comodidade deles.

As novas instalações terão, ainda, cativeiros para reprodução de espécies ameaçadas de extinção, como a ave íbis escarlate, que, até o fim do ano, deve ser reintroduzida nos mangues da Baía de Guanabara.

Veja também