Último adeus aos irmãos eletrocutados no Porto do Rosa, em São Gonçalo

Família pede justiça

Enviado Direto da Redação


Por Tatiane Gomes*


Os irmãos Kauã Gonçalves Bittencourt, de 14 anos e seu irmão Kaio Gonçalves Ribeiro, de 2, foram enterrados na tarde desta terça-feira (14), por volta das 16h no cemitério São Miguel, no bairro de mesmo nome. O velório e enterro das crianças foram marcados por dor e revolta por parte da família, com a presença de aproximadamente 200 pessoas.  


"Contaram que ele (Kaio) cortou o fio com uma linha de pipa e nisso o fio rebentou. Isso é mentira, como uma criança de 2 anos pode soltar pipa? E ainda estava chovendo, não tinha condições. Queremos justiça", explicou o avó dos irmãos.


Segundo uma vizinha da família, Valdineia da Silva, o fio estava solto há mais de um mês, e os moradores chegaram a chamar a Enel, mas a concessionária não tomou nenhuma providência a respeito do caso. 


Abalada, a família preferiu não falar com a imprensa. No fim, vários aplausos marcaram a última homenagem da família à vida dos irmãos.


Segundo familiares, a empresa de fornecimento de energia não tem prestado assistência aos pais e irmãos dos meninos, que estão desamparados.


"Nós queremos assistência social para a família, ajuda psicológica e justiça. A Enel não deu nenhuma assistência a eles", apontou a prima do pai das crianças, Gracielle Carvalho. 


A Enel afirmou que lamenta profundamente o acidente ocorrido e reforça que não há registros de reclamações anteriores ao acidente relacionadas à fiação danificada na região, nos canais de atendimento da distribuidora.


Sobre as possíveis causas do ocorrido, a empresa afirmou que relatos de moradores, mencionados no Registro de Ocorrência sobre o acidente, apontam que o cabo de energia teria sido rompido por uma linha de pipa. A concessionária, no entanto, segue apurando as causas.


Além, a Enel disse que representantes da concessionária estiveram no Instituto Médico Legal para oferecer suporte a família das crianças. Sobre o fornecimento de energia, a concessionária informou que enviou uma equipe ao local assim que tomou conhecimento do acidente, mas os técnicos foram impedidos de acessar a região.  


Estagiária sob supervisão de Cyntia Fonseca*

Veja também