Padaria em São Gonçalo faz mesa solidária para doar pães a quem não pode comprar

O próximo plano dos irmãos é oferecer suco e café

Enviado Direto da Redação


Por Pâmela Dias*


Muitos definem a solidariedade como um ato de compaixão e compreensão dos sentimentos alheios, a atitude que tem o propósito genuíno de contribuir sem esperar algo em troca. Foi partindo deste princípio, que o proprietário da padaria Cia do Pão, no Rocha, em São Gonçalo, teve a iniciativa de doar pães para aqueles que não tem condições de comprá-los e, dessa forma, ajudar a espalhar a corrente do bem pela cidade.


A ação surgiu há um mês, quando Jorge da Silva, de 41 anos, e seu irmão Maycon da Silva, de 32, gerente do comércio, observaram a grande quantidade de pão que era desperdiçada diariamente na padaria. Atualmente, a mesa solidária oferece não só os pães franceses que sobram, como também bolos, rosquinhas e pães doces que são preparados várias vezes ao dia na loja.


Segundo Jorge, ao contrário do que muitos imaginam, o retorno financeiro da padaria aumentou após a iniciativa. No entanto, ele e o irmão acreditam que o ato vai muito além do dinheiro. Para eles, há maior felicidade em dar do que em receber.


"Nosso faturamento aumentou de uma forma estrondosa depois que começamos a fazer essa ação. Mas para gente, ajudar é uma lição que vem de família. Eu me sinto tão bem, sempre fui ensinado assim. O bem só atrai o bem, sem olhar a quem", disse. 


Todos os dias, desde que o comércio abre até o fechamento, muitas pessoas passam pela mesa e levam o que precisam. Uma moradora do bairro Mutondo, também em São Gonçalo, que preferiu não se identificar, teve sua primeira experiência com a ação solidária durante a reportagem de O SÃO GONÇALO. Segundo a gonçalense, ela e o marido estão desempregados e atuam como catadores de materiais recicláveis para sustentar os três filhos. Os quatro pães que foram pegos vão proporcionar a eles um feliz café da tarde.


"É muito difícil ter um comércio que faça isso. Meu marido tá desempregado, a situação tá muito difícil. E a gente que têm filhos é ainda pior. Dói quando eles pedem para comprar um pão e não ter como comprar. Quando eu estou catando recicláveis na rua, sempre vejo sacolas e sacos de pão no lixo, mas hoje meus filhos vão ficar felizes, a gente precisa muito", contou ela emocionada.


Nas redes sociais, a Cia do Pão já faz sucesso entre os gonçalenses. A publicação sobre a atitude solidária rendeu mais de 2 mil curtidas e centenas de comentários carregados de elogios.


"Parabéns pela atitude! Que mais comerciantes façam o mesmo. Uma pequena parte doada para quem tem fome, assim como está sendo, Deus recompensará em dobro!", disse uma internauta. "Que padaria? Faço questão de ir comprar produtos lá, mesmo que seja longe da minha casa. Atitudes que fazem um mundo melhor precisam ser valorizadas", comentou outro.


O próximo plano dos irmãos para a padaria é oferecer suco e café, para que as pessoas de baixa renda que passarem pelo local e estiverem com fome possam se alimentar. Segundo eles, algumas pessoas pegam sem precisar, fazendo com que quem necessite de fato daquele alimento fique sem.


Estagiária sob supervisão de Cyntia Fonseca*

Veja também