Pastelaria de São Gonçalo investe em decoração baseada no grafite

Comerciante investiu no estilo artístico para 'animar' o local de trabalho

Enviado Direto da Redação


Por Ana Carolina Moraes*


A arte do grafite está invadindo as ruas de São Gonçalo e até mesmo os pontos comerciais da cidade. A prova disso é a iniciativa do comerciante Júlio Diniz, de 47 anos, que resolveu levar novas cores para sua barraca de pastéis, que fica no bairro Mutondo.


Para isso, o comerciante pediu a ajuda do grafiteiro Victor Azevedo Queiroz, de 31 anos, que desenhou, nesta segunda-feira (02), um símbolo que representasse o produto da barraca do “Pastel do Julinho".


Victor é conhecido no mundo dos grafites como Arte Urbana. Ele conta que trabalha há 11 anos com o grafite e adora fazer a arte. Sobre o convite de Júlio, ele afirmou que adorou a ideia.


“Ele é um amigo meu. É super legal o convite dele e é a minha profissão, eu adoro", afirmou. Ele conta que já fez mais de 8 mil grafites e que a concorrência para a produção dessa arte em estabelecimentos comerciais vem crescendo.


“Eu trabalho no Rio de Janeiro inteiro e as pessoas têm adorado o meu trabalho e os grafites. Mas, a concorrência vem ficando cada vez maior", disse. O grafite é considerado uma arte sobre as paredes e pode ser uma inscrição caligrafada ou um desenho pintado ou gravado. 


Victor começou a desenhar com 8 anos de idade, mas aos 11 ele lembra que fez seu primeiro grafite:  “Meu padrinho me via desenhando minhas camisas e pintando-as com tinta guache. Aí, ele resolveu me dar um pequeno compressor de tinta e eu comecei a grafitar camisa. Eu ganhava um dinheiro com isso", lembrou o grafiteiro.


No entanto, a família de Victor não apoiou ele na decisão e disse que o grafite “não dava futuro”. Victor, então fez faculdade de gestão empresarial, mas ficou desempregado em 2008.


“Eu estava distribuindo currículo pelas ruas e vi uma loja onde vendia um compressor de tinta. Entrei e, com o dinheiro guardado que eu tinha, comprei o compressor e voltei a fazer grafite", disse Victor.


De lá para cá, Victor afirma que já fez obras pelo Rio inteiro, desde São Gonçalo até a Região dos Lagos e a Baixada Fluminense. 


Para Júlio, a ideia do grafite foi importante para dar novas cores ao seu estabelecimento comercial. O comerciante trabalha com sua esposa, Luci Figueiredo, sua filha, Júlia Diniz, e sua irmã, Ana Paula Diniz. Há dois meses, Júlio resolveu abrir o negócio no Mutondo, já que é a área na qual ele e sua esposa foram nascidos e criados.


“O gonçalense é carente de um bom produto. Juntando isso com o desemprego, eu fui para o lado da gastronomia, já que minha filha e ela são dessa área e resolvi abrir o negócio”, explica o comerciante. 


No entanto, para Júlio, havia um problema. A barraca do comerciante era de frente para uma parede completamente pichada e Júlio não achava o ambiente alegre. Por isso, ele resolveu pintar de branco e por cima do branco pediu que Victor fizesse o grafite com o símbolo de sua marca.


“Esse muro estava horrível, todo pichado e aí quem vinha lanchar via essa coisa feia. As pessoas não são obrigadas a ver isso enquanto comem. Aí resolvi fazer o grafite para dar um ambiente saudável”, disse Júlio. 


A parceria entre Júlio e Victor deu tão certo que até os clientes que estavam no local se animaram e elogiaram a pintura. Para quem quiser saber mais sobre o pastel, o caldo de cana ou o bolinho de bacalhau de Júlio, basta ir até a esquina Rua Major Azeredo Coutinho, no Mutondo, e visitar a barraca com o slogan "Pastel do Julinho". Já para quem quiser contratar ou saber mais sobre o grafite de Victor, basta entrar em contato com o grafiteiro através de seu Whatsapp (021) 98697-7851. 


Estagiária sob supervisão de Cyntia Fonseca*

Veja também