Varejo inicia a Cyber Monday para acabar com estoques da Black Friday

Este ano os descontos podem ultrapassar 75%

Enviado Direto da Redação
 O objetivo da campanha é de estimular o consumo das lojas on-line, com foco nos eletrônicos

O objetivo da campanha é de estimular o consumo das lojas on-line, com foco nos eletrônicos

Foto: Divulgação

Para os que amam um preço baixo e não conseguiram aproveitá-lo na Black Friday da última sexta-feira (29), ainda há chances de conseguir os descontos da Cyber Monday, que acontece nesta segunda-feira (2). O objetivo da campanha é  estimular o consumo das lojas on-line, com foco nos eletrônicos. Este ano, os descontos podem passar de 75% em computadores, smartphones, televisões, além de outros artigos eletrônicos. 


Alguns economistas relatam que a campanha é uma ótima maneira para os lojistas acabarem com os estoques de começo de ano, além de ser uma boa oportunidade para os consumidores encontrarem os produtos que desejam a preços mais baixos. Eles também recomendam que, caso o cliente esteja procurando qualquer modelo de smartphone, por exemplo, o ideal é esperar até o final da campanha, pois os preços estarão menores. Já quem procura um produto específico, é recomendado que compre o quanto antes para não correr o risco de ficar sem.


Algumas varejistas anunciaram que vão ampliar a Cyber Monday para o resto da semana, aumentando a variedade de produtos oferecidos para setores que vão além dos eletrônicos, como vestuário e decoração.


No entanto, os especialistas alertam para o estado do produto a ser comprado. Muitos deles são mostruário e podem estar danificados. Lembrando que é direito do consumidor pedir a troca ou cancelamento do produto, caso perceba que o aparelho está com problemas e não foi notificado pelo vendedor. 


Assim como as demais épocas do ano, durante a Cyber Monday os consumidores têm direito ao arrependimento, no prazo de sete dias, podendo realizar a troca ou ser reembolsado. 


Além disso, é importante ficar atento às falsas promoções. Caso as identifique, o consumidor pode fazer uma reclamação aos órgãos de defesa do consumidor. O Procon-SP identificou que 25,83% das reclamações na Black Friday deste ano foram relativas a maquiagem de preços.


Assim como na Black Friday, as ofertas que parecem boas demais devem ser olhadas com desconfiança. A recomendação é nunca clicar em links enviados pelo WhatsApp e checar a reputação dos sites em que o consumidor vai fazer a compra.


No caso da compra on-line, os pedidos só serão enviados a partir da confirmação do pagamento. E, como a chance de um produto se esgotar é grande, o consumidor que paga por boleto pode acabar ficando sem o item desejado.

Veja também