Concessionária avança com construção de terceira faixa na BR-101

Planejamento prevê liberação de novas pistas a partir de janeiro

Enviado Direto da Redação
Planejamento prevê liberação de novas pistas a partir de janeiro

Planejamento prevê liberação de novas pistas a partir de janeiro

Foto: Divulgação

O segmento da BR-101 RJ/Norte entre a praça de pedágio e o Trevo de Manilha, na região entre São Gonçalo e Itaboraí, começa a ganhar uma nova cara. A Arteris Fluminense iniciou a pavimentação das novas pistas construídas onde antes existia o canteiro central. A concessionária prevê a liberação deste segmento na primeira quinzena de janeiro de 2020, ampliando a capacidade de tráfego em 50%. Mais à frente, entre a região do Apollo e Guaxindiba, máquinas e operários fazem o trabalho avançado de terraplanagem.

As obras fazem parte da ampliação do trecho da rodovia que liga Manilha ao Barreto. O projeto prevê a implantação de uma terceira faixa junto ao canteiro central no trecho de 23 quilômetros de rodovia em ambos os sentidos da via, totalizando 46 quilômetros de novas pistas.

“A liberação do tráfego de veículos para as novas pistas será feita conforme a conclusão dos segmentos, com todos os dispositivos de segurança implantados e iluminação em LED restabelecida. A intervenção é um grande desafio logístico e a operação foi planejada em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal visando causar o menor impacto na fluidez da via, garantindo a circulação de veículos em duas faixas por sentido”, comenta Helvécio Tamm, diretor de operações da Arteris Fluminense.

Proteção aos trabalhadores e fluidez aos usuários

A segurança de usuários e trabalhadores é um dos pilares de atuação da companhia. Os canteiros de obras de ampliação do segmento Barreto-Manilha estão isolados por barreiras de concreto e contam com um trabalho de sinalização de operadores indicando a movimentação de caminhões, que transportam material pétreo para obra.

“Acreditamos que a modernização da BR-101/RJ é um passo importante na operação da rodovia e a obra promoverá melhor fluidez ao tráfego e condições ainda mais seguras aos usuários que fazem uso deste trecho, impactando diretamente, também, na economia e no turismo da região”, comenta Simone Cardozo, gerente de operações da Arteris Fluminense.

Veja também