Alerta aos pais: golpe online usa imagem da Turma da Mônica

Criminosos tentam obter dados de cartões de crédito

Enviado Direto da Redação
Criminosos tentam obter dados de cartões de crédito

Criminosos tentam obter dados de cartões de crédito

Foto: Divulgação

Um post falso da Turma da Mônica está rodando grupos de WhatsApp e redes sociais. No golpe, que tem como alvo crianças, os personagens Cebolinha, Mônica, Magali e Cascão dizem estar buscando um “novo amigo” e, para fazer parte da turma, os pequenos precisam comentar “o número de cartão de crédito da mamãe”, “os 3 numerozinhos atrás” e a “data de expiração”. De acordo com a Mauricio de Sousa Produções (MSP), a imagem viralizada se trata de um fake news.


Não é de hoje que os golpes estão tomando a internet e cada vez mais os pais se preocupam com perigos, como a temida Dark Web e os desafios sombrios lançados no Youtube. Mas, afinal, é possível manter as crianças seguras no mundo digital? Luiza Mendonça, Educadora Parental em Disciplina Positiva e CEO do AppGuardian - app de controle parental que conecta pais e filhos -, elenca 4 dicas que podem ajudar na rotina online.


Diálogo em primeiro lugar: converse com seu filho


O primeiro passo para manter a criança segura na internet é o diálogo entre pais e filhos. Para se conectar melhor com a garotada é essencial que os pais saibam o que eles andam fazendo na internet e fora dela também. Uma dica importante: procure saber quais são os youtubers que seu filho mais curte, além de hobbies, gostos musicais e quais séries e programas ele gosta de assistir. Não deixe de passar um tempo com seu filho e procure estar sempre atento às suas atividades (online e offline). Vale sempre alertá-los a nunca enviarem dados pessoais, informações de cartões de crédito, fotos a estranhos.


Disciplina: estipule limites de horário


Na hora do diálogo é importante definir os horários em que as crianças e, principalmente, os adolescentes poderão ficar conectados. Um levantamento realizado pela empresa AppGuardian em junho deste ano mostra que a garotada fica, em média, 5,7 horas por dia no celular, número referente aos dias da semana (segunda a quinta-feira), no fim de semana o tempo ao celular sobe 20%, chegando a 6,9 horas/ dia. Com os adolescentes é preciso ficar atento ao tempo que passam em seus quartos só usando celular. Educadores e psicólogos garantem que o quarto trancado é um dos maiores perigos de hoje em dia, já que na web o adolescente pode ter acesso a conteúdos inapropriados e, muitas vezes, perigosos. Caso seu filho use lan houses, procure saber onde é esse local e estipule dias e horários que ele poderá ir até o estabelecimento.


Seja parceiro: navegue junto com a criança



É muito importante que os pais “surfem” a mesma onda dos filhos e também se conectem. Portanto, estejam nas mesmas redes sociais que eles, conheça os canais que a criançada assiste e separe um tempinho do seu dia para acessar à web junto com as crianças, deixe que eles mostrem o que gostam de acessar e fique por dentro do dia a dia do seu filho na internet.


Aposte em tecnologia: use o controle parental


Para auxiliar os pais a organizarem melhor a rotina digital dos filhos ao celular (e tablets), uma alternativa é apostar em apps de controle parental. Um exemplo é o AppGuardian (http://bit.ly/appguardian2) que permite que os pais bloqueiem o acesso dos filhos a alguns apps e até mesmo a toda e qualquer funcionalidade do smartphone. Com a tecnologia é possível também ter acesso a um relatório informando o tempo que a criança passou no Youtube e demais redes sociais. Outra ferramenta que ajuda bastante é o “Tempo de Tela”, que permite aos responsáveis determinarem (antecipadamente) quanto tempo querem que os filhos fiquem conectados ao longo da semana - de forma personalizada. Com suporte 100% em português e feito por pais e mães brasileiros, o AppGuardian também disponibiliza um navegador que bloqueia qualquer tipo de conteúdo adulto, como pornografia, no celular e tablet do seu filho.

Veja também