SG: Passeata pelo fim da violência sexual contra crianças

A iniciativa da Igreja Adventista

Enviado Direto da Redação
Ponto final da caminhada será no Hipermercado Guanabara

Ponto final da caminhada será no Hipermercado Guanabara

Foto: Divulgação

Em busca de acender um amplo debate e propor métodos para evitar o crescimento da violência sexual infantil, neste ano a campanha Quebrando o Silêncio direciona sua atenção para o tema em busca de evitar que mais crianças e adolescentes integrem estatísticas mundiais. E não só isso. A iniciativa da Igreja Adventista busca, também, apresentar caminhos para a recuperação de quem, infelizmente, carrega as marcas e dores que resultam do abuso.


Em São Gonçalo, uma passeata do Quebrando o Silêncio ocorrerá neste sábado (24), das 9 às 12h da manhã. O ponto de saída será no Posto Haley e chegada no Guanabara do Colubânde. A passeata será ao longo da Avenida Jornalista Roberto Marinho. O Prefeito e outras autoridades do município participarão desta ação que deve mobilizar cerca de mil pessoas. A passeata terá carro de som, banda, faixas e balões alusivos à campanha. A “Turma do Nosso Amiguinho”, de desenho animado infantil, também estará presente para instruir as crianças de forma mais lúdica. 


Ao longo do percurso, serão entregues materiais instrutivos, como flyers e uma revista para adultos e outra para crianças, ambas com ênfase na necessidade de prevenção e conselhos sobre o que fazer para evitar a aproximação de abusadores, por exemplo. As versões digitais dos periódicos e outras informações estão disponíveis em quebrandoosilencio.org



 “Órgãos governamentais e comunidades religiosas, por exemplo, podem ajudar a proteger as crianças e adolescentes ao deixar a postura meramente reativa para assumir uma agenda proativa de prevenção”, sublinha a educadora Marli Peyerl, coordenadora do projeto para oito países da América do Sul. O caminho, aponta ela, é informar e sensibilizar a população, começando pelos pais e cuidadores. E, depois, partir para a ação: criar ambientes que sejam acolhedores e inclusivos nos espaços frequentados pelos pequenos.



As ações centrais da campanha ocorrem no dia 24 de agosto no Brasil, Uruguai, Paraguai, Argentina, Chile, Bolívia e Equador. No entanto, a campanha se estende ao longo de todo o ano com palestras, ações de conscientização e iniciativas de amparo realizadas em várias localidades. 

Veja também