Trans gonçalense representará o Rio de Janeiro em concurso

Candidata sempre sonhou em estar nas passarelas

Enviado Direto da Redação

Por Thalita Queiroz 


A realização de um sonho, é assim que Eloá Rodrigues, de 26 anos, encara sua participação no concurso de Miss Beleza Trans Brasil 2019, que está em sua primeira edição e acontecerá no dia 3 de novembro. A candidata, que  representará  o Rio de Janeiro na competição, se identifica como travesti e transexual, e conta sobre seus planos de viver da arte e estar sempre nas passarelas dos grandes concursos. 


Eloá é do Jardim Catarina, em São Gonçalo, e revela que a sua participação no novo concurso de trans foi uma 'escolha a dedo' feita pelos organizadores do evento. “O processo foi diferente de como costuma ser em outros lugares. Os organizadores abriram as inscrições pelo site e a partir disso, eles monitoraram nossas redes sociais e fizeram a escolha de cada modelo para representar seus respectivos estados”, conta ela. 


A candidata do Rio de Janeiro, sempre sonhou em ser miss e participar desse tipo de concurso. Ela conta que já passou por muitos obstáculos na sua vida, mas que isso foi como um combustível para continuar correndo atrás e chegar no lugar que ela sempre quis: diante dos holofotes. “Por ser negra e representar um público LGBTI, a sociedade já me impunha muitas coisas, antes eu não conseguia me expressar para dar minha opinião, mas depois que você entende qual lugar você ocupa, eu já consigo lutar pelas causas que eu defendo”, diz ela que atualmente é presidenta do Conselho Municipal LGBTI de Niterói e militante da causa. 


Sobre o concurso, Eloá se mostrou confiante e  já está realizada só de ter chegado à etapa final, podendo representar o seu estado em um concurso nacional. “É desafiador e estamos em uma constante preparação para fazer tudo certo na hora do desfile. Os organizadores do evento estão dando um suporte incrível para a gente”. 


A representante do Rio, buscou em uma agência para ter uma melhor preparação para não fazer feio. “Eles me ajudam com a passarela, como fazer as fotos e como me arrumar para os eventos”, conta ela que está em seu terceiro concurso. Sem muita experiência, ela afirma “O ‘não’ nós já temos, o que precisamos fazer é buscar a superação e ir atrás para vencer obstáculos”, conclui ela. 


Sabendo da sua realidade, a modelo diz que é preciso incentivar aquelas pessoas que tem sonhos parecidos com o dela. “Eu sou de uma cidade que não dá incentivo para cultura e nem para a arte, então temos que buscar novos meios, o que é difícil para o negro e trans, de ocupar esses espaços que não foi criado para a nossa beleza e singularidade”, finaliza ela.

O concurso Miss Beleza Trans Brasil 2019, acontecerá no Rio de Janeiro no dia 3 de novembro, e contará com 27 candidatas representando os seus estados.


Estagiária sob supervisão de Marcela Freitas 

Veja também