Nova diretoria da Uesbcn quer Carnaval de volta à Avenida Amaral Peixoto

Outra prioridade também é conseguir um local para que agremiações possam se preparar melhor

Enviado Direto da Redação
O diretor Enézio Fonseca e presidente Marcelo Serpa Januário, que foi eleito presidente da Uesbcn

O diretor Enézio Fonseca e presidente Marcelo Serpa Januário, que foi eleito presidente da Uesbcn

Foto: Divulgação


O retorno dos desfiles oficiais da cidade à Avenida Amaral Peixoto, histórico palco do Carnaval de Niterói, no Centro, e a consolidação de um plano que possibilite a cessão de uma área para a preparação das agremiações para esse evento anual são algumas das prioridades a serem adotadas pela nova diretoria da União das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Niterói (Uesbcn). Eleitos por aclamação por representantes de agremiações filiadas, os novos gestores da Uesbcn já trabalham em prol de melhorias que possibilitem a qualificação do Carnaval. 

 A nova diretoria da Uesbcn, responsável pela revitalização dos desfiles oficiais do Carnaval de Niterói, a partir de 2006, após onze anos de interrupção, é encabeçada por Marcelo Serpa Januário e Sandro Miranda, que já elaboram um plano de revitalização para que o evento anual, um dos principais do Carnaval da cidade todos os anos, possam ter mais atrações ao numeroso público que sempre prestigia a passagem das escolas. 
    

Perfil - Marcelo de Serpa é oriundo de Santa Rosa, Zona sul de Niterói, onde tem anos de dedicação à Folia do Viradouro, escola que ajudou a fundar e que tem alguns títulos no Carnaval de Niterói. O vice de Marcelo, Sandro Miranda, é conhecido no mundo do samba como 'Sandro Batistão', que a a exemplo de Marcelo, também deu sua contribuição ao Carnaval como dirigente de agremiação  - a Banda Batistão. 

História - A Uesbcn foi fundada no final de 2005, com objetivo de reorganizar os desfiles oficiais do Carnaval na cidade, que foram extintos em 1995 pelos então governantes. A partir do trabalho da entidade, as agremiações começaram a desfilar, de forma incipiente, a partir de 2006.


E desde então, a festa cresceu e todos os anos, mobiliza milhares de pessoas e é um dos principais eventos do Carnaval no interior fluminense, depois do Rio de Janeiro. A festa sempre foi realizada na Rua da Conceição, mas o plano dos sambistas é que volta a ser realizada na Avenida Amaral Peixoto, no Centro da cidade, histórico palco da passagem das agremiações nas décadas de 70, 80 e 90, no chamado apogeu da folia na cidade.   

Veja também