Familiares e amigos criam grupo de apoio a doação de órgãos

Grupo já ajudou mais de 5 mil pessoas com doações de medicamentos imunossupressores, entre outros materiais

Enviado Direto da Redação


Por Daniela Scaffo


Quase 35 mil pessoas em todo o Brasil estão na fila para transplante de órgãos, segundo dados da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos. Em São Gonçalo, um grupo de transplantados, familiares e amigos se uniram no intuito de ajudar com informação e falta de medicamentos, que recebeu o nome de Família TX RJ. 


O fotógrafo Marco Carvalho, 54, é um dos dirigentes do grupo, juntamente com a confeiteira Rosangela Bevasse, 62, Vanessa Bevasse, 39, Sheila Costa e Deyse Franco. Ele teve uma doença rara e precisou passar por um transplante hepático do fígado de um cadáver há dois anos e quatro meses. 


"Depois desse transplante, eu estou podendo viver. Eu só tinha mais dois meses, segundo os médicos, e foi quando apareceu o fígado, em um ato de amor e de solidariedade de uma família na hora do sofrimento. Só tenho a agradecer por tudo que passo e agora estou lutando pelos pré e pós transplantados", disse. 


O grupo foi criado há pouco mais de um ano e já ajudou mais de cinco mil pessoas com doações de medicamentos imunossupressores, insumos hospitalares, cadeiras de rodas, entre outros materiais. Além disso, eles também fazer passeatas, manifestações, palestras e cobram do poder público.


"Não recebemos nenhuma ajuda financeira. Ajudamos pessoas de todo o Brasil e a nossa credibilidade que faz com que recebamos apoio para fazermos essa conexão. Agora estamos buscando recursos para abrirmos uma associação. Já estamos com toda a documentação, mas ainda falta o dinheiro. Por isso, estamos confeccionando camisas para vender", explicou Rosangela Bevasse.


A confeiteira é mãe de Vanessa Bevasse, que está na fila de espera para o transplante. Vanessa teve hepatite C e só descobriu quando estava em estágio avançado. Através de grupos, Rosangela conseguiu um medicamento importado, que custava aproximadamente R$800 mil, que curou a doença.


"Ela já estava com cirrose quando descobrimos. Fez vários tratamentos antigos, mas todos sem retorno. Eu comecei a entrar em grupos sobre hepatite e vi que essa medicação importada estava curando 99% dos casos. O plano de saúde só liberava três meses de tratamento, e minha filha precisava de seis. Através de um pastor evangélico da Filadélfia, conseguimos a doação dos outros três meses. Nesse período, vimos vários companheiros do grupo morrerem. Agora, ela precisa de um transplante por causa da cirrose, que ainda não tem cura", contou a confeiteira. 


Com muita ajuda, os administradores do Família TX conseguiram montar o próprio grupo, com a finalidade de ajudar outras pessoas. Os membros se conheceram durante visitas a hospitais durante os tratamentos.


No próximo dia 1º, o grupo fará uma caminhada na Quinta da Boa Vista, com divulgação e panfletagem incentivando a doação de órgãos no mês da campanha da causa, intitulado Setembro Verde. 


Quem quiser conhecer e ajudar o grupo, pode entrar em contato através do Facebook: https://www.facebook.com/familiaTX/. Ajudas financeiras também podem ser feitas através da conta poupança Caixa, agência 0889, op 013, conta 00080637-0.

Veja também