Abandono de cães no Ceasa de São Gonçalo é problema constante

Direção instalou câmeras no local para evitar prática criminosa

Escrito por Redação 20/07/2019 10:25, atualizado em 20/07/2019 10:14
Quem for flagrado abandonando animais pode ser preso
Quem for flagrado abandonando animais pode ser preso . Foto: Kiko Charret


Considerada a unidade com maior potencial do estado, o Ceasa de São Gonçalo oferece uma variedade de serviços para moradores da cidade e de outros municípios. Porém, o entreposto tem lidado com um problema que tem se tornado constante, o aumento no número de animais abandonados no local. 


De acordo com a lei federal nº 9.605/98 e a lei estadual nº 3.900, o abandono de animais é crime, com pena prevista de 3 meses a 1 ano de detenção e aplicação de multa. Com base nas leis, o Ceasa de São Gonçalo começou uma campanha de prevenção e conscientização para evitar que mais animais sejam abandonados no local. Qualquer um que for flagrado, seja por câmeras ou pela segurança, abandonando algum animal, será levado à Delegacia Policial de Alcântara (74ª DP). Com essa medida, acredita-se que o índice de abandono no entreposto caia.


Segundo Douglas Bertoldo, chefe da Divisão Operacional do Ceasa de São Gonçalo, atualmente, há cerca de 50 animais abandonados espalhados pelo mercado, mas medidas já foram tomadas em relação a eles.


“Todos esses animais estão sendo cadastrados, tratados e alguns deles já foram castrados. Após a conclusão do cadastramento de todos os animais, a gente pretende organizar uma feira de adoção para doar os cachorros.”, disse  Douglas.


Alguns colaboradores do projeto também fornecem consulta veterinária e alimento para os animais abandonados dentro do local.


Embora o Ceasa de São Gonçalo conte com todo esse amparo aos cachorros, isso não é motivo para abandoná-los. Relembrando, o abandono e os maus tratos aos animais é crime. Aqueles que presenciarem alguma cena desta prática no Ceasa podem ligar para o número (21) 3715-2419 para realizar uma denúncia. O anonimato é garantido.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas