Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

Pesquisa registra aumento de famílias endividadas no estado do Rio

É o quarto aumento consecutivo na comparação mensal, segundo Fecomércio-RJ

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 18 de julho de 2019 - 18:19
As famílias com contas em atraso demoraram 65,3 dias além do prazo para quitá-las em junho de 2019
As famílias com contas em atraso demoraram 65,3 dias além do prazo para quitá-las em junho de 2019 -

O percentual de famílias endividadas no estado do Rio de Janeiro registrou o quarto aumento consecutivo, na comparação mensal, e atingiu o valor de 61,9% em junho de 2019, aumento de 0,9 ponto percentual frente a maio e 1,8 ponto percentual na comparação com o mesmo período do ano anterior.

É a segunda vez consecutiva que a proporção de famílias endividadas aumenta no comparativo interanual. É também a primeira vez, desde maio de 2018, que o índice passa a oscilar fora do intervalo de 1,5 ponto percentual. O levantamento é da Fecomércio RJ, apurado pela CNC.

A pesquisa revelou que a proporção de endividados cresceu mais fortemente entre as famílias que ganham até 10 salários mínimos e alcançou 65,7% em junho frente a 64,8% no mês de maio.  O número de junho de 2019 já é 1,9 ponto percentual superior ao valor registrado no mesmo período do ano passado.

Dentre o total de endividados, 77,9% afirmaram que tem dívida no cartão de crédito, o que equivale a um contingente de famílias 4,9 vezes superior aos endividados com carnês (15,9%), segunda maior modalidade de endividamento em junho de 2019.

O percentual de famílias inadimplentes recuou e atingiu cerca de 27,7% em junho, frente a 28,7% registrados em maio. O recuo sugere que as famílias podem ter se endividado para pagar contas em atraso.

A porcentagem de famílias que revelou não ter condições de pagar as contas em atraso subiu 0,4 ponto percentual em junho frente a maio, e atingiu 13,9%, quinto aumento consecutivo. O valor é 4,1 pontos percentuais superior ao observado em junho de 2018. Aqui também percebe-se que a proporção de famílias que não terão condições de pagar suas contas, entre o grupo que ganha até dez salários mínimos (17,1%), registrou valor aproximadamente 3,6 vezes superior a proporção de famílias que não terão condições de pagar suas contas entre as ganham mais de dez salários (4,7%).

Na média, os endividados destinaram 28,7% da sua renda para o pagamento dos juros da dívida no mês de junho, mesmo valor verificado em maio e 0,4 ponto percentual inferior à proporção observada no mesmo mês do ano anterior. Por um lado, o número de famílias endividadas aumentou em junho na comparação dos últimos 12 meses. Entretanto, o tamanho da dívida contratada por cada família diminuiu também na comparação anual.

As famílias com contas em atraso demoraram 65,3 dias além do prazo para quitá-las em junho de 2019, contra 65 dias em maio de 2019 e 61,5 dias em junho de 2018.

Dessa forma, as famílias permaneceram endividadas, em junho, por aproximadamente 233 dias, mesmo valor observado no mês passado, mas 17 dias a mais que o mesmo mês do ano anterior.

Evolução da inadimplência/2019:

JAN – 23%

FEV – 24,6%

MAR – 24,6%

ABR – 26,8%

MAI – 28,7%

JUN – 27,7%

Matérias Relacionadas