Lixo em encosta tem preocupado moradores de Porto Velho, em São Gonçalo

Geladeira, roupas, pneus e até animais mortos são jogados no local

Enviado Direto da Redação

Moradores do Porto Velho estão sofrendo há anos com uma encosta que fica no final da rua Professora Amélia Romanazzi, em São Gonçalo.

A equipe do jornal O SÃO GONÇALO foi até o local e viu de perto a situação em que os moradores se encontram. Geladeiras, sofás, roupas, pneus velhos e até animais mortos, isso é o que jogam na encosta na parte de cima e atingem as casas que ficam na parte de baixo.

Uma dessas casas é a da Josiane Gomes Rodrigues, de 20 anos que está com um recém -nascido de 6 meses e outras 3 crianças pequenas em casa. Ela conta que fica com medo.

“Já aconteceu de jogarem pedras aqui e quebrarem meu telhado e quando chove sempre ficamos com medo dessa encosta descer e arrastar tudo o que tiver pela frente”, conta Josiane

Toda vez quando a chuva chega forte na região, moradores ficam apreensivos pois o terreno é instável. Romilson Alves dos Santos, de 39 anos, mora no local há muito tempo e conta que a situação só piora. “Já entramos em contato com a prefeitura e eles não fizeram nada, eles disseram que iam colocar uma lixeira lá em cima mas como a quantidade de lixo que jogam é muito grande, uma lixeira não daria conta”, diz Romilson que trabalha como pedreiro.

Moradores contam ainda que realizam mutirões de limpeza a cada 6 meses. “Nos reunimos e nós mesmos vamos tentando amenizar a situação. Da última vez tiramos 15 caçambas de lixo”, conta o morador.

A Subsecretaria de Limpeza Urbana informa que a coleta de lixo está regular no local, mas enviará uma equipe para fiscalizar a solicitação e tomar as medidas necessárias nos próximos dias.

Veja também