Servidores de Niterói ganham reajuste de 4,75%

Os funcionários que recebem até R$ 3 mil terão o auxílio alimentação dobrado

Enviado Direto da Redação
A medida também beneficiará os servidores inativos e pensionistas

A medida também beneficiará os servidores inativos e pensionistas

Foto: Reprodução


Os servidores municipais e funcionários da administração direta e indireta da Prefeitura de Niterói terão reajuste de 4,75% em seus vencimentos, para a reposição salarial pela inflação de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A revisão foi publicada no Diário Oficial do Município em 5 de junho, retroativo ao dia 1º de junho. A medida também beneficiará os servidores inativos e pensionistas.


Os funcionários que recebem até R$ 3 mil também serão beneficiados com o aumento do auxílio alimentação, que será dobrado.


O prefeito Rodrigo Neves destacou que o aumento só está sendo possível porque a cidade vem realizando nos últimos anos uma boa gestão em suas finanças o que já colocou o município como o melhor no ranking estadual em administração e gestão.


“Nós decidimos encarar a crise que vivíamos em 2013 como uma oportunidade. Fizemos uma gestão técnica e responsável, investindo em modernização, cortando gastos desnecessários e priorizando o essencial. Graças a uma política equilibrada, temos muito orgulho de honrar nossos compromissos, pagando salários e fornecedores em dia. Além disso os serviços são executados normalmente e ainda estamos tiramos do papel inúmeras obras. Por conta deste planejamento estamos hoje podendo conceder esse reajuste, ao contrário de muitos municípios que não estão conseguindo nem mesmo pagar os salários em dia”, afirma o prefeito.


A cidade, antecipando-se aos efeitos da crise econômica que se abateu no país, sobretudo no Estado do Rio de Janeiro, lançou, no final de 2016, o “Plano Niterói Mais Resiliente”, com 47 medidas de modernização da gestão municipal e de controle e ajuste fiscal. O plano teve como metas promover uma economia estimada em R$ 158 milhões e aumentar a arrecadação apenas com medidas de eficiência, sem aumentar impostos ou cortar em programas sociais.


“Os servidores sempre foram uma das prioridades do governo. A cidade precisou organizar as finanças por conta que problemas ocorridos lá atrás. Foi um período de muitos acertos e trabalho para chegarmos até aqui e poder retribuir ao servidor o que fazem pela administração”, explica Fabiano Gonçalves, secretário de Administração.

Veja também