Jovem que lutou contra a leucemia e mobilizou a internet morre em Niterói

Lucas ajudou diversas pessoas com sua campanha de doação de sangue

Enviado Direto da Redação
Último registro do jovem em uma festa junina realizada no HUAP

Último registro do jovem em uma festa junina realizada no HUAP

Foto: Divulgação

Por Thalita Queiroz*

Após lutar por um ano contra a leucemia, o jovem Lucas Pazoline não resistiu e faleceu na última sexta, 21. O jornal O SÃO GONÇALO contou a história de superação do jovem de 29 anos que teve sua vida totalmente mudada por causa do câncer. Lucas estava fazendo campanha na internet para conseguir mobilizar as pessoas a doarem sangue para o hemonúcleo do Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP).

Após as sessões de quimioterapia já concluídas, o fotógrafo voltou a ter complicações e teve que retornar à rotina de morar no hospital.

Na manhã do dia de seu falecimento, Lucas deixou uma carta emocionante em sua rede social. No texto, ele agradeceu o apoio dos amigos e familiares que estiveram com ele durante a doença. Ele inicia a carta reconhecendo sua luta diária: “De tanto lutar, acabei perdendo. Normal numa batalha... Sempre haverá um só ganhador. Mas isso não quer dizer que não dei o meu melhor. Posso ter chorado nas horas mais difíceis, momentos em que eu estava frustrado, estressado. Mas não desisti".

Na mensagem ele também lembra daqueles que vestiram a camisa e foram doar sangue, não apenas para ajudá-lo, mas também para ajudar outras pessoas que viviam a mesma situação que ele.

Mesmo em meio a tanto sofrimento, o jovem fez questão de reconhecer o seu aprendizado: “O que eu aprendi nesse período internado é que somos totalmente dependentes uns dos outros … Que somos minúsculos diante de qualquer enfermidade e sobre a força da natureza".

Lucas conseguiu mobilizar várias pessoas a doar sangue. Mais de 300 pessoas foram até o hemonúcleo após iniciar sua campanha nas redes sociais.

O jovem termina sua carta com um simples “Adeus”. Família e amigos pretendem continuar a campanha para que mais pessoas possam receber ajuda através da doação de sangue.

Leia a carta que Lucas Pazoline deixou em uma rede social, na íntegra:

“De tanto lutar, acabei perdendo. Normal numa batalha... Sempre haverá um só ganhador. Mas isso não quer dizer que não dei o meu melhor.

Posso ter chorado nas horas mais difíceis, momentos em que eu estava frustrado, estressado. Mas não desisti. Lutei o meu combate, usei o machado, gritei na cara do meu inimigo!! Mas não venci. Não acho que isso faça com que eu tenha sido fraco, pelo contrário... Suportei as maiores e mais fortes dores! Talvez eu tenha sido um herói. Aquele que chega e faz a diferença... Sei que ajudei muitos guerreiros que batalharam ao meu lado.

Mas até os maiores heróis da história pereceram...

Quero, outra vez em tantas, agradecer a todos aqueles que estiveram ao meu lado... Aqueles que não se cansaram de orar, de rezar, de pedir ao seu Deus por minha recuperação, de se doar (literalmente)... Deus abençoe imensamente a sua vida!

O que eu aprendi nesse período internado é que somos totalmente dependentes uns dos outros, e que nossas vidas não funcionam sem termos amor ao nosso próximo.

Que somos minúsculos diante de qualquer enfermidade e sobre a força da natureza.

E que devemos dar valor as coisas simples da vida. Que a felicidade é uma questão de escolha. E que sua família, aquelas pessoas que correram juntos com você(isso inclui os amigos de verdade) nos momentos mais difíceis, são o seu maior tesouro.

Obrigado mãe e pai, por nunca terem desistido de mim. Amo vocês!

Obrigado aos meus 5 irmãos lindos, sempre torcendo muito. Amo muito vocês!

Obrigado tia Cleise e Mariângela, por terem sido uma segunda mãe. Amo vocês.

Obrigado aos meus primos Marcel e Suéllen, foram mais que irmãos. Amo vocês!

Obrigado minhas tias Nea e Cléa e ao meu padrasto Álvaro, sempre ao lado da minha mãe ajudando e torcendo pro melhor. Amo vocês!

Um abraço especial pros dinos, meus amigos, vocês são fodas! Amo vocês!

Outro abraço pra todos os meus companheiros de batalha, que ainda estão combatendo o bom combate, em especial para uma menina linda chamada Day Silva. Beijo, minha linda! Não perca a fé!

Eu sempre gostei muito de jogar, principalmente jogos online... Já fui Glóin, Shavlauvisk, Pazoline, Pazô, CamilleLemos(dagger encapetada kk)... Fiz grandes amizades, algumas perpetuaram por mais de 13 anos... Valeu pela diversão, galera!

Termina a minha história e faz-se cumprir o ato sublime da vida... O que nos faz ser finito(e graças a Deus por isso). Mas segue o meu legado, tudo que eu fui e fiz. As amizades que criei e os laços que firmei.

Um beijão em todos vocês.

Adeus…”

*Estagiária sob supervisão de Thiago Soares

Veja também