Grupo de tatuadores ganha exposição sobre trajetória em São Gonçalo

4Tattoo foi o primeiro estúdio da cidade a montar uma loja em formato de aquário

Escrito por Redação 22/04/2019 16:58, atualizado em 20/04/2019 09:09
 Equipe que começou há 12 anos, hoje conta também com escola de formação de tatuadores
Equipe que começou há 12 anos, hoje conta também com escola de formação de tatuadores . Foto: Luiz Nicolela


Por Rafaela Batista e Cyntia Fonseca 

Com 12 anos de história, integrantes da 4Tattoo Studio vão contar um pouco sobre a evolução do trabalho realizado ao longo dos últimos anos, além de expôr alguma das suas artes, aproveitando para tirar as dúvidas que muitas pessoas ainda têm sobre o mundo da tatuagem.

O grupo, que foi o primeiro estúdio de São Gonçalo a montar uma loja em formato de aquário (em que as pessoas que passam pela calçada conseguem ver os tatuadores trabalhando), foi convidado pela Secretaria de Cultura e Lazer do município, a promover uma exposição na Casa das Artes Vila Real. A mostra ficará disponível durante todo o mês de maio, das 10h às 16h, com entrada gratuita, no Zé Garoto, em São Gonçalo.

A marca 4Tattoo já é conhecida por estar sempre promovendo eventos sociais, como o que aconteceu em outubro do ano passado. No movimento social, as pessoas que possuíam alergias - alimentares ou a medicamentos-, ganhavam uma tatuagem de até 10 centímetros. Durante essa última ação, o grupo arrecadou quilos de alimentos não perecíveis, que foram doados a instituições da cidade. E nessa exposição, não será diferente.

Segundo Júnior Red, um dos fundadores do estúdio, junto com Fábio Mandrak e Gilson Dreadlock, a exposição também contará com promoções para os clientes.

“Quem for e levar um quilo de alimento não perecível ou qualquer produto de higiene pessoal, ganhará um desconto de R$50 em qualquer tatuagem”, explicou o tatuador Red.

Durante a exposição, além de contarem sobre a trajetória do grupo, Mandrak agradece pelo reconhecimento da 4Tattoo e afirma que tentarão quebrar o tabu ainda existente sobre a tatuagem.

“Somos muito gratos pelo reconhecimento do nosso trabalho, até porque a arte não tem que ser julgada. Vamos falar sobre isso na exposição, e vamos tentar acabar com esse tabu que ainda existe”, disse o tatuador, que continuou agradecendo ao OSG por sempre apoiar os movimentos sociais realizados.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas