Barbearia é referência em barber shops, em São Gonçalo e Niterói

Os empreendedores também mantém um Centro de Formação Profissional

Enviado Direto da Redação

Por Rennan Rebello


As famosas barber shops com seu visual retrô é algo rotineiro na paisagem de centros urbanos. No entanto, este tipo de barbearia que parece ser algo recente, na verdade, iniciou-se na década de 1920, nos Estados Unidos. Na época, os negros de subúrbios estadunidenses foram percussores deste formato, que faz sucesso na região. Em paralelo, torna-se a principal fonte de renda e de qualificação de muitos barbeiros que trabalham neste ramo ou empreendem seu próprio negócio. Eles se inspiram em princípios do passado como forma de agregar experiência e outros serviços ligados a beleza do cliente, que vai cortar o cabelo e conversar sobre assuntos ligados ao universo masculino.


O Salão 2k fundado pelos sócios Ericksson Keki, 35, e Douglas Kibe, 32, é uma das principais referências neste negócio. Os amigos fizeram a sociedade em 2009 mas há quase três anos passaram a figurar na 'moda' da barber shop, ao perceberam, que era uma tendência entre os barbeiros locais.


"Começamos a cortar cabelo há 16 anos, começamos em uma varanda lá no bairro do Zumbi, em São Gonçalo antes de montarmos a nossa barbearia. Migramos para barber shop, ao reparamos, que este conceito deu uma outra cara para a barbearia tradicional, dando benefícios, como a de oferecer cervejas, entre outros. Antigamente ser barbeiro não era uma profissão mas hoje em dia este mercado é reconhecido. Por isso, mudamos tudo, do uniforme a todo visual de nosso espaço. Isso foi ótimo para nós, como profissionais porque também passou a ser mais rentável", explicou Ericksson Keki.


Com o tempo de trabalho, conseguiram conquistar uma vasta clientela no meio, incluindo atletas de futebol, como já foi registrado em reportagens de O SÃO GONÇALO, em junho de 2007. "Começamos a cortar os cabelos de jogadores de forma natural, por exemplo, o Vinicius Jr, que é daqui da cidade, já tinha escutado falar da gente e entrou em contato com o nosso Instagram (@2k_barbershop) e passamos a cortar o cabelo dele desde sua época de Flamengo e ele  nos indicou para outros e passamos a cortar o cabelo de muitos atletas, inclusive o barbeiro da Seleção Brasileira é o meu irmão. Recentemente fomos a Espanha para cortar o cabelo do Vinicius (que defende o Real Madrid). Enfim, além de barbeiros dos jogadores acabamos nos tornando amigos", revelou Keki.


Atualmente a dupla mantém dois salões: um na Rua Marechal Deodoro, no Centro de Niterói e outro na Covanca, sendo que neste mesmo bairro os dois empreendedores mantém um Centro de Formação Profissional aos interessados em aprender o ofício de barbeiro e o conceito de barber shop. Em paralelo a isso, um curso online já está ativo no portal www.2kbarbershop.com.br.   "Em julho, completaremos três anos de nosso curso presencial e já formamos 33 turmas de barbeiros. e também disponibilizamos uma plataforma de curso a distância pela internet. Esta ideia surgiu por conta de nosso trabalho cortando os cabelos dos jogadores de futebol que acaba despertando interesse de pessoas de outros estados que querem aprender o ofício de barbeiro ou que tem dificuldades na hora de cortar. Nesta ferramenta disponibilizando vídeo-aulas e no final, emitiremos certificados aos alunos", finalizou Keki.


Oriundos de uma das classes do Centro de Formação idealizado por Keki e Kibe, os novos barbeiros Gilson Júnior, 33, e Dennerson de Oliveira, 23 que são tio e sobrinho respectivamente, montaram a barber shop Diamante, no bairro da Trindade recentemente, após passarem por outros empregos que passam longe da barbearia. Gilson trabalhava no mercado de telecomunicação e Dennerson que é formado como eletricista e chegou atuar na função no Estaleiro São Miguel no pontal antes de trabalhar como churrasqueiro em um restaurante no Plaza Shopping, em Niterói.


"Eu sempre gostei de cortar cabelo e aprendi durante a minha adolescência, no entanto, aos 16 anos, tive um filho e na época a profissão de cabeleireiro não dava tanto dinheiro e acabei indo trabalhar como garçom antes de chegar à telecomunicação, trabalhei como cabista e depois encarregado, e em 2017, fiz o curso do Salão 2k porque conheci o Keki na igreja, me formei e tomei gosto, antes de montar este negócio, eu estava trabalhando como porteiro em Charitas. Começamos a pouco tempo e já fidelizamos alguns clientes", revelou Júnior que chegou a trabalhar em uma outra barber shop antes de montar seu negócio e que também acabou inspirando o seu sobrinho a ingressar nesta profissão.


"O meu tio ficou em coma e perdeu a visão depois de uma partida de futebol, ele chocou a cabeça com outro jogador e teve coágulo no cérebro,  foi um momento muito difícil e prometi que se ele ficasse bom, eu o ajudaria na barbearia. Fiz o curso de três meses do 2k, na Covanca, e o sonho dele acabou se tornando o meu também", contou Dennerson.


Além da história de superação e dedicação ao ofício, os profissionais da beleza, pensam em estratégias de marketing voltada à internet para crescer neste segmento competitivo onde é preciso se reinventar e trazer novidades para dentro do salão. "Nosso maior canal de comunicação é o Instagram: @barbershop_diamante. É por lá que as pessoas podem conferir os nossos cortes, o ambiente de nossa barber shop que aos poucos vai crescendo, estamos investindo em melhorias aos nossos clientes. Inclusive, há algumas semanas veio um rapaz do Rio do Ouro que viu nossas postagens por lá e resolveu vir aqui, para conferir. Durante o corte, ele nos disse que casaria no dia seguinte e confiou em nosso trabalho e isto foi gratificante. Além disso, nosso trabalho não é apenas 'cortar cabelo', mas sim, trabalhar no estilo e beleza do homem. Costumo dizer que nós cortamos o cabelo para a namorada e as esposas e a partir dos comentários delas, eles acabam voltando ", finalizou Júnior.


O que é 'Barber Pole'?

O poste de barbeiro (na tradução literal) com as cores azul, branca e vermelha que ficam girando nas barbearias,  talvez, seja o maior símbolo da barber shop. Atualmente este objeto é utilizado como item de decoração mas na Idade Média, quando os barbeiros, além de cortarem cabelo também realizavam cirurgias. Com o passar do tempo foi criado a barber pole para ser um objeto que indicava que o lugar em questão realizava cortes de cabelo quanto procedimentos cirúrgicos. Desta forma, cada cor ganhou um significado, por exemplo, o branco simboliza as bandagens usadas pelos barbeiros-cirurgiões para extrair sangrias e membros. Já as restantes fazem alusão ao sangue: o vermelho significa o sangue arterial enquanto o azul indica o venoso. Quando o 'barber pole' não continha a coloração rubra, significava que o barbeiro em questão não realizava cirurgias.

Veja também