Construção de creche municipal nunca foi iniciada em Monjolos

Moradores estão indignados com abandono das obras

Enviado Direto da Redação
Moradores do Condomínio Porto Seguro estão revoltados com o abandono das obras na creche

Moradores do Condomínio Porto Seguro estão revoltados com o abandono das obras na creche

Foto: Luiz Nicolela

A obra inacabada da construção de uma creche municipal na Estrada da Marambaia, em Monjolos, vem tirando o sono dos moradores do Condomínio Porto Seguro, que fica ao lado. O empreendimento, orçado em R$ 2,7 milhões, receberia recursos federais através da Caixa Econômica Federal. As obras seriam iniciadas em setembro de 2018 e concluídas em julho de 2019. Mas faltando três meses para o término do prazo, foi feita apenas a limpeza do terreno.


A vizinhança reclama que, para facilitar o tráfego das máquinas, responsáveis pela obra abriram uma passagem por dentro do condomínio e, após o abandono das atividades, a via não foi fechada novamente, deixando o local, que é fechado por um portão, vulnerável e com livre acesso.


Moradora e uma das conselheiras do Condomínio Porto Seguro, a confeiteira Raquel Souza, de 36 anos, demonstra indignação com a situação. “Com essa abertura, se formou uma espécie de ‘rua’ que dá acesso ao condomínio, que não é murada, e ficamos vulneráveis. A sensação é de insegurança. Uma pena esse abandono, uma creche aqui seria muito bom”, disse. Também residente na localidade, a técnica de enfermagem Kelly Rodrigues, 48, denuncia que a abertura pode facilitar a entrada de estranhos. “A região é muito pacata e por isso tememos essa nova ‘via’ que se formou aqui. Gostaria que a Prefeitura fechasse essa entrada”, reclamou.


A Secretaria Municipal de Educação informou que, segundo a Secretaria Municipal de Planejamento, a obra é custeada com recursos do Programa Minha Casa Minha Vida, onde a construtora foi contratada diretamente pela Caixa Econômica Federal. Ao entrar em contato com a construtora, a mesma explicou que a obra encontra-se atrasada devido à falta de repasses do Governo Federal. Quanto à passagem, a construtora esclareceu que mandará uma equipe ao local para verificar e tomar as providências cabíveis.

Veja também