Familiares e amigos fazem oração pela saúde dos feridos do Engenho do Roçado

Evento aconteceu na noite desta terça-feira (4)

Enviado Direto da Redação
Evento aconteceu na noite desta terça-feira (4)

Evento aconteceu na noite desta terça-feira (4)

Foto: Divulgação

Amigos, familiares e moradores do Engenho do Roçado e bairros vizinhos, em  São Gonçalo, se reuniram, na noite desta terça-feira (4), na praça do bairro, para uma corrente de oração em prol de melhorias no estado de saúde das três vítimas da explosão dentro de uma residência no último domingo (2). Cerca de 300 pessoas estiveram presentes durante o ato, que contou com a participação de diversos líderes religiosos da região.

De acordo com um dos organizadores da iniciativa e morador do bairro, o autônomo Mizael Silva, a ideia surgiu após a sua página no Facebook ter recebido diversas mensagens pedindo que fizessem alguma coisa em relação ao acontecido. Segundo ele, a única coisa a ser feita neste momento foi a oração e passou a convidar as pessoas através das redes sociais para se reunirem na praça do bairro. 

“A sensação depois desse ato é indescritível. Saber que, em meio a todos os problemas da nossa região, o bairro se uniu em prol de um único propósito: a oração pela vida de três pessoas queridas. Vamos continuar acreditando na sobrevivência deles, tenho certeza que são fortes e vão passar por cima desse momento difícil”, afirmou. 

Um dos momentos marcantes da noite foi o agradecimento do pai de Rafael Ferreira, que agradeceu as orações de todos os presentes e pediu que continuem orando por todas as vítimas da explosão. 

O acidente - Uma grave explosão deixou três pessoas gravemente feridas, na tarde do último domingo (2), no Engenho do Roçado, em São Gonçalo. 

O casal Rafael Ferreira, de 19 anos, Myllena Oliveira, 20; e a mãe dela, Maria Célia Campos, 48, estão internados no Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, e permanecem em estado gravíssimo, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. 

De acordo com a 75ª DP (Rio do Ouro), delegacia responsável pela área, as investigações apontam para uma tentativa de homicídio ao antigo morador da casa, um soldado da Polícia Militar, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Formiga, no Rio, que foi expulso da sua residência após traficantes terem descoberto a sua profissão, em meados do ano passado.

Veja também