Moradora de São Gonçalo tem diagnóstico de febre amarela confirmado

Estudante pode ter sido contaminada em Niterói

Enviado Direto da Redação
Ingred mostra a foto de Gabrielle, que está internada no Hospital São Lucas, em Copacabana, há duas semanas

Ingred mostra a foto de Gabrielle, que está internada no Hospital São Lucas, em Copacabana, há duas semanas

Foto: Leonardo Ferraz

Por Marcela Freitas

São Gonçalo tem o primeiro caso de febre amarela confirmado. A estudante de Direito, Gabrielle Barros de Almeida Feitosa, de 19 anos, moradora de Neves, em São Gonçalo, está internada no Hospital São Lucas, em Copacabana, após ter contraído a doença. A família acredita que a jovem tenha sido infectada após realizar uma trilha no Costão de Itacoatiara, em Niterói, no dia dois de maio. A universitária não havia se imunizado contra a febre amarela.

A mãe de Gabrielle, a cabeleireira Ingred Pimenta, 39, contou que nos dias 28 e 29 de abril, a família esteve em Penedo; e no dia 30, Gabrielle foi ao posto de saúde onde tomou duas vacinas – uma antitetânica e outra H1N1. No dia dois, ela foi com o noivo para uma trilha em Niterói e dois dias depois, começou a apresentar os primeiros sintomas da doença. Levada a um hospital particular de São Gonçalo, os médicos não suspeitaram, no primeiro momento, da doença. Gabrielle ficou ainda mais debilitada e, com o passar dos dias, ela voltou a ser levada ao mesmo hospital, onde cogitaram ser um caso de depressão.

Como nunca havia manifestado qualquer sintoma desta doença, a família buscou o Hospital de Clínicas da Alameda e foi lá que os médicos viram que o fígado dela estava comprometido, assim como os rins e pâncreas. Após exames de sorologia, os especialista solicitaram a transferência dela para Copacabana e, segundo Ingred, o diagnóstico foi positivo para febre amarela.

“Minha filha chegou em um estado muito crítico ao HCA. Os médicos chegaram a nos alertar quanto ao risco de óbito. Conseguimos a transferência para o Hospital São Lucas e hoje ela está melhorando aos poucos. Neste momento, ela saiu do coma induzido e está fazendo hemodiálise. Por dia, são três bolsas de sangue que podem vir a aumentar, já que ela contraiu também uma infecção na perna”, contou.

Ingred informou que há uma campanha de doação de sangue e que os voluntários podem ir à Clínica de Hemoterapia, na Rua Almirante Tefé, no Centro de Niterói. Além dos pedidos de doação, ela solicita que todos se imunizem contra a doença. “Com a Graça de Deus, minha filha está se recuperando. Agradeço a todos que puderem doar sangue e os que já doaram. Essa vacina é necessária e é preciso que todos tenham consciência de sua importância. Minha preocupação neste momento é quanto as outras pessoas que podem ter essa doença gravíssima. Infelizmente, não estão divulgando os casos. Minha vida e da minha filha estão entregues na mão de Deus, mas peço que todos se protejam”, afirmou.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de São Gonçalo informou que não tem o resultado positivo para a febre amarela da gonçalense. E que vem sendo considerado positivo para a doença pela evolução de seu quadro clínico. A Secretaria de Estado de Saúde informou que, até o ultimo boletim divulgado na última sexta-feira, não havia casos em São Gonçalo e Niterói. Eles informaram ainda que é levado em conta o local de possível contaminação e não a residência do paciente. A mãe da paciente informou que o exame de sorologia que confirmou a doença foi feito pelo Hospital das Clínicas da Alameda.

Campanha para doação de sangue

A Universidade Salgado de Oliveira (Universo), onde Gabrielle cursa o 4º período de Direito, está realizando uma campanha para que sejam doados sangue para Gabrielle. Em parceria com a Clínica de Hemoterapia de Niterói, serão oferecidos transportes para que professores, alunos e comunidade em geral possam doar o sangue para Gabrielle.

“Assim que a direção tomou ciência do caso de febre amarela e que a doação de sangue é uma forma de nossa aluna lutar pela vida, mobilizamos o campus e os alunos. Fizemos contato com a Clínica de Hemoterapia para viabilizar o transporte. A ideia é ajudar e conscientizar a população da importância de estar atento para essa doença. Nosso maior desejo é da Universo tê-la conosco de volta e que ela possa contar essa história mais na frente como sendo de superação e luta”, explicou o diretor do campus de São Gonçalo, Yohans Esteves.

O diretor pede, ainda, que a sociedade se mobilize e doe sangue. “Peço que todos que se sensibilizaram e entenderam a importância dessa atitude não fiquem parados. Venham até aqui ou se dirijam à clínica e doem vida. A Gabrielle merece e nós estamos empenhados em ajudá-la”, afirmou.

Quem quiser participar da Caravana do Bem da Universo, basta ligar para 2138-3451. Ou se preferir, pode se dirigir à Clínica de Hemoterapia, na Rua Almirante Tefé, 594, em Niterói, ou ainda no Centro de Transfusões de Sangue (CTS), na Rua Barão de Tefé, s/nº, quadra 59, lote 26, em Duque de Caxias. Basta dar o nome completo de Gabrielle e sua matrícula 17565.

Casos no estado - De acordo com o último boletim da Secretaria Estadual de Saúde divulgado na sexta-feira(18 de maio), até o momento foram registrados 257 casos de febre amarela silvestre em humanos, sendo 84 óbitos no estado do Rio.

Os casos são: 23 casos - Teresópolis, sendo oito óbitos; 40 casos Valença, sendo seis óbitos; 16 casos - Nova Friburgo, sendo cinco óbitos ; 1 caso – Petrópolis;- 5 casos - Miguel Pereira, sendo dois óbitos; 14 casos - Duas Barras, sendo dois óbitos; 5 casos - Rio das Flores, sendo dois óbitos; 5 casos - Vassouras, sendo três óbitos; 12 casos - Sumidouro, sendo cinco óbitos; 7 casos - Cantagalo, sendo quatro óbitos; 1 caso - Paraíba do Sul, sendo um óbito; 2 casos - Carmo, sendo um óbito; 2 casos - Maricá, sendo um óbito;- 54 casos - Angra dos Reis, sendo 15 óbitos; 4 casos - Paty do Alferes, sendo dois óbitos; 6 casos - Engenheiro Paulo de Frontin, sendo três óbitos, 1 caso – Mangaratiba; 3 casos - Piraí, sendo um óbito; 3 casos - Cachoeiras de Macacu, sendo um óbito; 4 casos - Trajano de Moraes, sendo três óbitos; 6 casos - Rio Claro, sendo três óbitos ; 5 casos - Silva Jardim, sendo dois óbitos, 1 caso - Bom Jardim; 10 casos - Barra do Piraí, sendo três óbitos; 2 casos - Sapucaia, sendo dois óbitos;10 casos - Paraty, sendo três óbitos;1 caso – Pinheiral;- 3 casos – Itatiaia; 6 casos - Resende, sendo três óbitos; 1 caso – Guapimirim; 2 casos - Três Rios, sendo um óbito e 2 casos - Rio Bonito, sendo dois óbitos.

Ainda segundo o boletim, em 13 localidades foram confirmadas febre amarela em macacos:  Niterói, Angra dos Reis (Ilha Grande). Barra Mansa,- Valença,Miguel Pereira, Volta Redonda,- Duas Barras, Paraty, Engenheiro Paulo de Frontin, Araruama, Petrópolis, Itatiaia e Sumidouro.

 A assessoria de imprensa da  SES ressalta que os macacos não são responsáveis pela transmissão da febre amarela. A doença é transmitida através da picada de mosquitos. Ao encontrar macacos mortos ou doentes (animal que apresenta comportamento anormal, que está afastado do grupo), o cidadão deve informar o mais rápido possível às secretarias de Saúde do município ou do Estado. A Secretaria reforça a importância das pessoas que ainda não se vacinaram buscarem um posto de saúde próximo de casa para serem imunizadas. 

O boletim leva em consideração o Local de Provável Infecção (LPI).

Ver mais notícias:


São Gonçalo abre inscrições para contratações temporárias de educadores

Caminhoneiros fazem manifestações em rodovias de Itaboraí

Itaboraí goleia e larga na frente na 'segundona' do Campeonato Carioca

Veja também