Prédio da sede da Prefeitura de São Gonçalo vira criadouro de mosquito

Moradores reclamam da proliferação de doenças na vizinhança

Escrito por Redação 16/03/2018 09:43, atualizado em 16/03/2018 09:40
Teto de imóvel que pegou fogo, em setembro do ano passado, está com água acumulada
Teto de imóvel que pegou fogo, em setembro do ano passado, está com água acumulada . Foto: Leonardo Ferraz

Por Daniela Scaffo

Moradores de um prédio vizinho à Prefeitura de São Gonçalo, no Centro, estão indignados com a falta de limpeza no local onde funcionavam algumas secretarias municipais e pegou fogo em setembro do ano passado. Com o abandono dos prédios, o teto desprotegido que abrigava algumas caixas d’água virou um criadouro de mosquito, que está espalhando doenças pela vizinhança.

A dona de casa Graça Teles, de 71 anos, que já teve dengue quatro vezes, está preocupada com a situação. Ela conta que já foi até a prefeitura e foi avisada de que uma perícia está em andamento para saber as reais condições dos prédios.

“Já tive essa doença quatro vezes e estou muito preocupada. Já fui até a prefeitura e fui informada que a perícia ainda está em andamento desde o ano passado. Eles alegam que não podem limpar o teto por causa disso. Do jeito que está aqui, é muito perigoso para quem mora perto”, disse.

Quem também mostrou preocupação foi a diarista Ana Maria Costa, de 37 anos. De acordo com ela, nem mesmo abrir a porta de casa, ela pode mais. “São vários e vários mosquitos grandes invadindo a minha casa. Não tenho mais o direito de abrir a porta e a janela da minha casa, se não fica muito pior. Em dias de calor como o de hoje, a gente sempre sofre, mas é melhor do que pegar alguma doença”, contou.

Já o motorista aposentado Herma Duarte, de 61 anos, apontou uma das causas que tem feito diversos mosquitos circularem pela vizinhança. “Depois que pegou fogo, destruíram algumas caixas d’água. Outras estão apenas sem a tampa. Desta forma, são vários locais de concentração de água parada, o que contribui e muito para a proliferação dos mosquitos”, explicou.

A Prefeitura, em nota, afirmou que está atenta ao problema e aguarda estudo da Defesa Civil para determinar a forma da remoção dos entulhos do local, visando a segurança dos trabalhadores. 


Ainda na nota, a prefeitura informa que na semana passada o Departamento de Manutenção e Conservação retirou quatro caixas d'água de dois mil litros que estavam sem tampas no telhado, com o intuito de prevenção. Hoje, uma reunião entre os setores responsáveis será realizada para discutir o assunto novamente. 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas