São Gonçalo perde Josias Ávila

Presidente do Abrigo Cristo Redentor faleceu em decorrência de uma cirurgia no intestino

Escrito por Redação 16/03/2018 08:51, atualizado em 16/03/2018 08:48

O sepultamento do corpo de Josias Ávila reuniu, na tarde de ontem mais de 300 pessoas, entre amigos, familiares e autoridades, no Cemitério Nycteroy, em Vista Alegre
O sepultamento do corpo de Josias Ávila reuniu, na tarde de ontem mais de 300 pessoas, entre amigos, familiares e autoridades, no Cemitério Nycteroy, em Vista Alegre . Foto: Luiz Nicolela

Por Dayse Alvarenga, Daniela Scaffo, Kharine Backer e Samara Oliveira

O presidente do Abrigo Cristo Redentor e ex-deputado estadual, Josias Ávila, morreu, na noite da última quarta-feira, em decorrência de complicações de uma cirurgia realizada no intestino. Personalidade muito querida na cidade de São Gonçalo e região, ele recebeu homenagens da família, amigos e residentes da instituição que presidia, durante todo o dia de ontem, no velório e sepultamento, realizados no Cemitério Parque Nycteroy, em Vista Alegre, São Gonçalo.

Mais de 300 pessoas compareceram ao enterro de Josias, entre elas, o prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci; o secretário de Cultura de Niterói, Marcos Gomes; o ex-deputado federal Osmar Leitão Rosa; além de outras personalidades de instituições sociais e políticas da região. Josias foi homenageado com coroas de flores, uma delas enviada pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Ele havia realizado uma cirurgia de emergência, em dezembro do ano passado, para retirar uma trombose intestinal, no Hospital das Clínicas de Teresópolis, onde passava temporada para comemorar seu aniversário de 78 anos ao lado dos filhos. Semanas depois, o presidente do abrigo foi transferido para o Centro Hospitalar São Lucas, em Icaraí, Niterói.

Lá, teve a saúde restabelecida e foi para casa onde era acompanhado por um serviço de homecare (cuidado em domicílio). Porém, na quinta-feira passada, voltou ao São Lucas para fazer uma segunda cirurgia de ligação no intestino e teve complicações.

“Antes de tudo, ele era o nosso pai querido, amado, que era dedicado à família e gostava muito de ajudar as pessoas. Ele foi nascido e criado em São Gonçalo e gostava muito da cidade. A gente, quando adolescente, queria se mudar para outro lugar, mas ele nunca deixou. Ele era muito querido por todos e podemos ver isso agora nas homenagens que estamos recebendo. Ele amava todos do Abrigo Cristo Redentor e nem mesmo doente deixou de olhar por eles. São Gonçalo perde uma pessoa que amava demais esse lugar e fez de tudo pela cidade”, disse a professora Ana Lúcia Ávila Alvarenga, 49, um dos quatro filhos de Josias.

O vice-presidente do abrigo, Nilton Vieira, irá assumir a presidência até a nova eleição, que acontece no próximo ano.

“Ele era um grande amigo e vai deixar uma lacuna muito grande a ser preenchida. Estive no hospital com ele, brincamos e conversamos, e pensei que ele fosse se recuperar. Será uma perda muito grande para essa casa e para a nossa cidade”, disse Nilton. No abrigo, o clima era de muita tristeza. Os idosos prestaram suas homenagens e seguiram, na parte da tarde, para acompanhar o velório e dar o último adeus. Residente da casa há aproximadamente 10 anos, Aldemir da Silva, 82, disse que Josias era uma pessoa boa, que deixará uma obra perfeita.

“Ele sempre foi muito amigo e sincero com a gente. Seu Josias era uma pessoa boníssima, que irá deixar muitas saudades. A obra dele era perfeita e ele deixa um belo legado”, declarou.

Outro morador do abrigo que também quis prestar sua homenagem foi Fandohal A. Nicolau, 71. O idoso, de origem africana, se emocionou ao falar do presidente.

“Ele era uma pessoa que fazia a gente ficar bem. Remédio nos ajuda a melhorar, mas Josias era um remédio natural. Ele iluminava tudo e trazia alegria só ao falar”, revelou.

Psicólogas do Abrigo Cristo Redentor também se emocionaram ao falar da trajetória de Josias. Aurea Santos o definiu como um pai. “Ele era muito carinhoso, um excelente ouvinte e muito justo. Tinha um dom de transformar as coisas em aprendizado. Foi uma das poucas pessoas que conheci com essas características”, disse.

Karla Beatriz Pacheco declarou que os funcionários estão preparados para dar prosseguimento às obras dele. Isabelle Amaral também descreveu Josias como uma pessoa de inteira confiança. “Sempre podíamos contar com ele, nunca foi duro. Mas era a nossa fortaleza. Hoje, o nosso coração chora uma dor irreparável. Apesar de tantos títulos, a simplicidade no olhar dele nos bastava”, definiu.


Defensor público e deputado estadual por 4 mandatos

Josias Ávila era defensor público de carreira, estudou no Colégio São Gonçalo e cursou Direito na UFF.

Teve sua carreira política ligada ao grupo Lavoura (em referência ao ex-prefeito de São Gonçalo Joaquim Lavoura) e seu primeiro cargo político foi a chefia de gabinete na administração municipal de Geremias de Mattos Fontes (1958-1962). Em 1967, Geremias aceitou a indicação do seu nome para governador do antigo Estado do Rio e Josias foi novamente seu chefe de gabinete.

Josias lançou seu nome à Assembleia Legislativa, em 1971, e saiu vitorioso. Josias foi deputado estadual por quatro mandatos. Há mais de 40 anos, Josias também presidia o Instituto de Previdência da Alerj (Ipalerj) a pedido dos próprios deputados.

O presidente do abrigo foi ainda secretário de Administração de São Gonçalo no governo Henry Charles (2001-2004). Ele ocupava a pasta por indicação do então vice-prefeito Hairson Monteiro, já falecido.

Mais tarde, Josias deixou a política para se dedicar ao Abrigo Cristo Redentor. Na entidade, realizou muitos trabalhos e fez muitas mudanças positivas na casa. Mas fez questão de manter hábitos simples, aprendidos na sua experiência pessoal e religiosa na Igreja Batista de São Gonçalo onde, inclusive, foi diácono.

Por alguns anos, todas as últimas sextas-feiras do mês, “fugia” da rotina para se divertir com os amigos no evento “Momento Musical Salvatori”, que criou junto com o também já falecido jornalista Assuéres Barbosa para exercitar o vozeirão com as canções de grandes nomes da MPB.

Em dezembro de 2015, o Governo do Estado deixou de fazer o repasse de verbas para o abrigo, o que deixou a entidade com uma dívida atual de quase R$1,5 milhão. Por muitas vezes, Josias utilizou verbas próprias para que os idosos não passassem por necessidades higiênicas e até mesmo alimentares.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas