Pais pedem ajuda para operação cardíaca da filha de 9 meses

A criança se alimenta apenas de um leite específico que custa R$ 50, a unidade

Escrito por Redação 10/03/2018 09:15, atualizado em 10/03/2018 09:13
. Foto: Leonardo Ferraz


O sorriso constante da pequena Emanuelly Vitória Gonçalves Ferreira, de apenas 9 meses, por muitas vezes quase esconde a complicação de saúde que sofre. Há quatro meses, os pais da menina descobriram que ela tem uma doença cardíaca e precisa ser submetida a uma cirurgia.


Segundo a mãe da criança, a dona de casa Patrícia Cássia Ferreira, de 23 anos, que mora no Porto da Pedra, em São Gonçalo, o problema surgiu quando Emanuelly nasceu na Maternidade Municipal Mário Niajar, em Alcântara.


“Fui amamentar e ela ficou roxa. Depois disso, acabou desmaiando. Eu contei para as enfermeiras e elas não acreditaram em mim. Recebemos alta muito rápido, sem ela sequer ter passado por uma consulta com um pediatra”, informou.


Por causa da demora na descoberta da doença, a menina quase morreu por insuficiência respiratória, ao um mês de idade apenas. Foi apenas quando Emanuelly completou quatro meses, após reportagem em O SÃO GONÇALO que foi detectada a doença vascular.


“Chegaram a dizer que o distúrbio melhoraria quando ela completasse 1 ano. Apenas após a reportagem, que recebemos apoio do Instituto Fernandes Figueira (IFF), onde foram realizados exames e identificado o problema. Apesar disso, não nos encaminharam para nenhum local para a cirurgia”, contou Patrícia.


Os pais da criança também recorreram a um posto de saúde municipal, através do qual receberam encaminhamento para a Clínica Municipal da Criança Célio Carvalho Martins, no Zé Garoto. Na unidade, os pais foram informados de que ali só eram realizadas cirurgias simples e não podiam atuar no caso de Emanuelly.


Devido ao problema, a menina tem dificuldades de respirar e até mesmo de comer. Por isso, a criança se alimenta apenas do leite Aptamil Profutura 2, que custa aproximadamente R$50 a lata, além de suplementos alimentares, remédios para nebulização e fortificação do pulmão.


“O leite é caro e dura apenas uma semana. Ainda tem os remédios. Estou desempregada e o meu marido está fazendo apenas biscates. A gente só queria que nossa filha tivesse uma vida normal porque ela sofre muito. A cirurgia resolveria tudo”, declarou Patrícia.


O Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), informou que "a paciente Emanuelly Vitória Gonçalves Ferreira foi atendida no Serviço de Atenção Cirúrgica à Criança e ao Adolescente do Instituto para uma avaliação de vias aéreas, no dia 10/10/2017. Na oportunidade, alguns exames foram solicitados. Até a presente data, os responsáveis pela Área ainda aguardam os resultados dos exames preliminarmente, solicitados para provável encaminhamento para a realização de uma cirurgia cardíaca. Caso se confirme o diagnóstico de Anel Vascular, a paciente será encaminhada a um Centro de Referência em Cirurgia Cardíaca, através da Central de Regulação de Vagas, pois o IFF/Fiocruz não realiza esse tipo de procedimento.


Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas