São Gonçalo dá calote em desabrigados

Casas no Centro que sofreram com deslizamento perdem muro e postes desabam

Escrito por Redação 27/02/2018 08:43, atualizado em 27/02/2018 08:41
O muro de um terreno com cinco casas caiu de vez e um poste tombou em direção às residências
O muro de um terreno com cinco casas caiu de vez e um poste tombou em direção às residências . Foto: Julio Diniz

Uma novela que parece estar longe do fim. No dia 8 de janeiro, O SÃO GONÇALO mostrou o drama de oito famílias da Rua Fonseca Ramos, no Centro de São Gonçalo, que ficaram desalojadas após cinco imóveis do mesmo quintal serem interditados por conta de um deslizamento de terra que comprometeu as construções. A situação, que já era ruim, ficou ainda pior, já que por conta das chuvas que atingiram a cidade na última semana, o muro do imóvel caiu por completo, assim como um poste que já estava inclinado e tombou em direção às casas após um veículo passar e arrastar os fios.

Uma das desalojadas, a atriz Adriana Quitete, de 54 anos, disse que apesar de informar que pagaria o aluguel social às famílias, elas sofreram ‘calote’ e a única ajuda oferecida pela prefeitura foi a oferta de um abrigo. “A Defesa Civil orientou que construíssemos um muro de contenção para evitar novos deslizamentos, mas infelizmente não temos condições. Solicitamos ajuda que o prefeito nos garantiu e não tivemos qualquer retorno. Infelizmente, estamos abandonados e esquecidos. Tememos que outras famílias passem pelo o que estamos passando”, afirmou.

Agora, a preocupação dos moradores é quanto a outro poste que estava encostado ao muro e pode cair com a erosão do solo que avança a cada nova tempestade. Adriana afirmou que ainda não conseguiu retirar seus pertences do imóvel ameaçado.

“Saímos da casa levando apenas as roupas por conta dos riscos e, agora, a situação é ainda pior. Com as últimas chuvas, o muro – que nem estava comprometido – caiu, evidenciando os riscos. Nosso receio é que este poste caia sobre as casas com a infiltração que vem abalando o solo. Mesmo com todo esse risco, a prefeitura nada fez”, disse.

A assessoria de imprensa da Enel Distribuição Rio informou que um gestor da companhia já foi ao local para avaliar as condições do terreno. Outra equipe será enviada, ainda esta semana, para planejar o serviço e realizar a realocação do poste em questão. A distribuidora esclarece que apenas um dos postes afetados pertence à companhia, sendo o outro um poste padrão, de responsabilidade do cliente.

A Defesa Civil, por meio da assessoria, esclareceu que a informação não procede, uma vez que equipes do órgão já estiveram no local diversas vezes acompanhando o caso e orientando os moradores, tendo inclusive, um termo assinado por alguns moradores da Rua Fonseca Ramos assumindo a responsabilidade por não deixarem suas residências. 

De acordo com laudo, que já foi entregue às pessoas que residem no local, tratam-se de propriedades particulares, que estão interditadas devido ao risco iminente de desabamento. A Prefeitura pode auxiliar realizando a demolição das residências afetadas e as obras devem ser feitas pelos proprietários dos imóveis, com profissionais credenciados pelo CREA. 

Sobre os postes que correm risco de desabamento, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano informa que já entrou em contato com a Enel, responsável pelo equipamento instalado, para que realize vistoria e dê início às obras necessárias. 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas