Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,3317 Euro up 5,5714
Search

Festival de teatro seleciona grupo de São Gonçalo para se apresentar no Paraná

Companhia Resenha Teatral faz ‘vaquinha’ para viajar

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 19 de fevereiro de 2018 - 08:32
Espetáculo aborda o tráfico de escravos do reino de Benin para o Brasil e questiona nossas origens
Espetáculo aborda o tráfico de escravos do reino de Benin para o Brasil e questiona nossas origens -

A Companhia Resenha Teatral, de Nova Cidade, São Gonçalo, foi selecionada para participar do 27º Festival de Teatro de Curitiba (Fringe), que acontece entre os dias 28 de março e 8 de abril. O grupo apresentará o espetáculo “Meu Passado Não Se Apaga - Ubuntu: Sou O Que Sou Pelo Que Somos”. Entretanto, os artistas precisam arrecadar um valor de R$10 mil, até 2 de março, para cobrir, entre outros custos, as passagens. Para conseguir esse dinheiro, eles criaram uma ‘vaquinha online’.

O espetáculo, segundo a diretora da companhia, Carol Araújo, aborda o universo do antigo reino africano de Benin e o período da escravidão no Brasil. Na peça, um grupo de africanos é traficado e trazido ao Brasil Imperial, e para enfrentarem essa situação se apegam a filosofia africana Ubuntu (somos todos um só).

“Os objetivos são despertar a curiosidade do público em conhecer mais da cultura africana e fazer com que os espectadores questionem mais sobre as suas raízes. Em um momento do espetáculo o personagem Griot pergunta: Você sabe a sua origem? A Origem da sua família? De onde você veio?”, conta Carol.

 A companhia gonçalense se apresenta nos dias 28, 29 e 30 de março, no Teatro Antonio Carlos Kraide, em Curitiba. O grupo é composto por cinco atores, Ana Paula Figueiredo, Fernando Vasconcelos, Kamylla Duarte, Lucas Nunes, Maria Carol Leguede, e neste espetáculo, eles convidaram outros quatro, que são Alberto Sena, Thuane Ribeiro, Thomas Rodrigues e Victor Hugo Braga. Todos são moradores de São Gonçalo, Itaboraí e Rio.

Carol contou que a companhia se inscreveu para o Fringe e recebeu com muita alegria a notícia de que o projeto do espetáculo havia sido selecionado.

“Enviamo a documentação exigida junto com o projeto e após dois meses recebemos a feliz notícia de que o grupo estava apto a participar do festival. Ser selecionada para participar do Fringe significa um reconhecimento do conteúdo produzido como um selo de qualidade, além de ser uma grande vitrine cultural que possibilita a expansão na produção de novos projetos. Por se tratar de um festival onde precisamos pagar nossas despesas, toda ajuda é bem vinda”, afirmou a diretora.

A companhia - A Resenha Teatral surgiu em 14 de Julho de 2013 por ex alunos do curso de teatro ministrado por Carol Araujo. Quando foi convidada para dirigir a companhia, Carol explicou a que a única exigência que fez foi de que produzissem material artístico, aliado à pesquisa, construção e utilização de multilinguagens. 

"Logo depois convidei a Maria Carol Leguede que além de atriz cuida do preparo físico dos atores", explicou Carol.

O grupo ensaia na Academia Máximo, que fica na Rua Vicente de Lima Cleto, 68, em São Gonçalo.

Matérias Relacionadas