Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

Riso e choro no Carnaval de Niterói

Enquanto vermelho e branco comemora acesso, Sossego lamenta a queda

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 15 de fevereiro de 2018 - 08:06
Quadra da Viradouro, no Barreto, ficou lotada após o resultado do desfile sobre os gênios da criação
Quadra da Viradouro, no Barreto, ficou lotada após o resultado do desfile sobre os gênios da criação -

A Unidos do Viradouro foi a campeã da Série A em 2018 com o enredo “Vira a cabeça, pira o coração - Loucos gênios da criação” e volta à elite do Carnaval do Rio de Janeiro após três anos na Série A. No próximo sábado, ela participa do Desfile das Campeãs na Avenida Marquês de Sapucaí para a alegria de milhares de foliões niteroienses. Com 263.7 pontos, a Acadêmicos do Sossego disputou décimo a décimo com a Unidos de Bangu, mas acabou rebaixada à série B para o desfile na Intendente Magalhães em 2019.

Com o total de 269.7 pontos, a diferença da Viradouro para a segunda colocada – Unidos de Padre Miguel – foi de apenas três décimos. Em terceiro lugar, a vermelha e branca gonçalense – Unidos do Porto da Pedra – esteve na disputa até o penúltimo quesito e somou 269 pontos, seguida por Inocentes de Belford Roxo em 4º e pela niteroiense Cubango em 5º.

Cerca de três mil pessoas estiveram na quadra da Viradouro, no Barreto, para a festa após a apuração das notas na noite de ontem. E os motivos para comemorar não foram poucos: entre os quesitos com pontuação máxima estavam alegorias e adereços, fantasias, evolução, enredo e comissão de frente. Esta última muito elogiada por foliões, inclusive, de outras escolas.

O enredo, que homenageou gênios da criação como Einstein, Da Vinci, Galileu, Chaplin e até Dom Quixote e Frankstein, também surpreendeu, representado por carros alegóricos bastante coloridos, cheios de detalhes e movimentos, como o abre-alas de 40 metros com acrobatas. A poucos minutos do fim da apuração, a rainha de bateria Raíssa Machado já acreditava no melhor.

 “A comunidade é muito forte, sempre entramos na avenida acreditando. Estamos com uma administração linda, você vê que a quadra está lotada. Então fico arrepiada o tempo inteiro, muito emocionada. Temos certeza que nosso trabalho foi muito bem feito”, apostou

. Para o presidente da agremiação, Marcelo Calil, o título foi resultado de muito planejamento e investimento.

“Ver essa quadra lotada hoje (ontem) é indescritível. Acho que, neste momento que a escola vive, conseguimos investir muito no que se refere a planejamento e organização. Começamos o barracão em maio, ensaios de rua em outubro. Poucas escolas fazem isso. Trouxemos pessoas extremamente competentes, mas mais do que isso, trouxemos de volta a comunidade, resgatamos a essência da escola. Não tem fórmula mágica. É trabalhar e amar o que está fazendo”, declarou.

A Viradouro já foi campeã da Série A em 1990 e 2014 e do Grupo Especial em 1997.

Porto da Pedra - Com o enredo dedicado às rainhas do rádio, a vermelha e branca de São Gonçalo se manteve na série A. O presidente da agremiação, Fábio Montibelo, dedicou a conquista ao sambista Sapatinho, locutor da Porto da Pedra, falecido em janeiro. “Agradecemos muito a tudo o que Sapatinho fez pela escola. Infelizmente, o que o governante atual está fazendo com a cultura de São Gonçalo é uma covardia. Não tivemos nenhum apoio”, declarou.

Sossego - Na série A desde 2016, a escola do Largo da Batalha por pouco não conseguiu se manter por mais um ano na Sapucaí. A disputa na tabela com a Unidos de Bangu foi acirrada, mas a perda de pontos importantes nos quesitos Evolução e Enredo acabou deixando a Sossego em último lugar. “Dentro do nosso grupo era esperado que a Viradouro levasse a melhor. Fizemos de tudo pela comunidade, mas muita coisa fugiu do planejado. A crise afetou bastante”, comentou o presidente Wallace Palhares.

Cubango - O enredo dedicado à cultura afro impressionou na avenida, mas a verde e branco de Niterói encerrou o Carnaval carioca na 5ª posição.

“Foram apenas nove meses para construir uma nova Cubango”, comentou o presidente Rogério Belisário.

Classificação – Na pontuação final, a ordem ficou: Viradouro (269.7); Unidos de Padre Miguel (269.4); Porto da Pedra (269); Inocentes de Belford Roxo (268.2); Acadêmicos do Cubango (268); Estácio de Sá (267.5); Império da Tijuca (267.4); Alegria e Renascer (266.2) na 8 e 9ª posições, respectivamente; Santa Cruz (265.7); Rocinha (265.4); Unidos de Bangu (264.3) e Sossego (263.7).

Matérias Relacionadas