Comerciantes querem suspensão do IPTU

Eles estudam entrar com ação civil pública

Escrito por Redação 04/02/2018 09:10, atualizado em 04/02/2018 09:09
Comerciantes de São Gonçalo estudam entrar com ação civil pública no Ministério Público (MP)
Comerciantes de São Gonçalo estudam entrar com ação civil pública no Ministério Público (MP) . Foto: Divulgação

Comerciantes de São Gonçalo estudam entrar com ação civil pública no Ministério Público (MP) para que a cidade de São Gonçalo seja obrigada a suspender a cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) 2018. Amanhã, eles voltam a se reunir na praça de alimentação do Edifício Trade Center, conhecido como “Prédio do Relógio”, em Alcântara, às 16h30, onde definirão ações para tentar rever a cobrança.


De acordo com o presidente da Associação Comercial, Empresarial, Industrial e Rural de Alcântara (Aceira), Fabiano Rodrigues, em alguns casos, o aumento chegou a 1.200%. Fabiano disse que conseguiu agendar reunião com o secretário municipal de Fazenda para a próxima sexta-feira e pretende também conseguir um encontro com o prefeito.


“Neste primeiro momento, vamos pedir a revisão da taxa. Caso não consigamos reverter, vamos entrar com uma ação no MP. Eles fizeram um cálculo alegando que o comércio do Alcântara produz muito lixo. Na verdade, quem produz mais lixo é o camelô, que não tem custo algum”, disse.


A assessoria de imprensa do MP foi procurada para informar se há alguma ação civil pública sobre a suspensão do IPTU, mas não deu retorno até o fechamento desta edição. (Marcela Freitas)

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas