Morte de 'Sapatinho', locutor da Porto da Pedra, deixa São Gonçalo mais triste

Ele foi enterrado na tarde de ontem

Escrito por Redação 31/01/2018 16:07, atualizado em 30/01/2018 11:04
> Amigos e familiares se despediram de “Sapatinho”
> Amigos e familiares se despediram de “Sapatinho” . Foto: Débora Vieira


O ex-presidente do clube Tamoio e locutor oficial dos eventos da escola de samba Porto da Pedra, Edson do Nascimento Gonçalves, o Sapatinho, de 66 anos, que morreu no último domingo, foi sepultado ontem, no Cemitério São Gonçalo, no Camarão, às 15h.


Depois de quase uma semana internado no Pronto Socorro, o sambista sofreu um choque séptico e não resistiu. O corpo de Sapatinho começou a ser velado ainda na noite de domingo, no clube Tamoio, onde recebeu as homenagens de familiares e amigos do mundo do samba. Uma das filhas do sambista, Angélica Teixeira, de 46 anos, lamentou a morte do pai e lembrou como Sapatinho foi feliz durante a vida.


“Ele tinha um lema na vida e era muito conhecido por isso. Ele dizia que não tinha tudo que amava, mas amava tudo o que tinha. Foi desta forma que viveu. A Porto da Pedra e o Tamoio representaram tudo para ele. Sentiremos muito a sua morte e teremos saudades do homem que sempre estava com um sorriso no rosto”, disse a filha, emocionada.


Outro que compareceu ao velório de Sapatinho foi o amigo e atual presidente do Tamoio, Jorair Ferreira. “Conheci o Sapatinho em 1970. Trabalhei muito tempo com ele, inclusive aqui no Tamoio. Posso falar que ele era uma pessoa maravilhosa, um bom amigo. Quando a família pediu para fazer o velório aqui, não pensamos duas vezes. Todos choram essa morte, o Tamoio, a Porto da Pedra e São Gonçalo”, disse Jorair. O cortejo fúnebre saiu do Tamoio até o Cemitério São Gonçalo acompanhado da bateria da Porto da Pedra, que homenageou Sapatinho.



Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas