Dois incêndios atingem o mesmo apartamento em menos de 4 horas em Niterói

Imóvel ficou completamente destruído

Escrito por Redação 24/01/2018 12:29, atualizado em 24/01/2018 11:52
 >> Segundo os moradores do edifício Marte, os bombeiros não teriam apagado o primeiro incêndio de maneira correta, o que ocasionou a volta das chamas, menos de quatro horas depois do primeiro incidente
>> Segundo os moradores do edifício Marte, os bombeiros não teriam apagado o primeiro incêndio de maneira correta, o que ocasionou a volta das chamas, menos de quatro horas depois do primeiro incidente . Foto: LEONARDO F


Moradores dos 68 apartamentos do edifício Marte, em Santa Rosa, viveram dois momentos de desespero em um intervalo de quatro horas, entre a madrugada e o início da manhã de ontem, quando dois incêndios quase consecutivos atingiram o apartamento 1301 da Rua Américo Oberlaender, deixando o imóvel completamente destruído.


Segundo a proprietária do apartamento, a podóloga Mônica Oliveira, de 52 anos, no momento do primeiro incêndio estavam em casa seu filho, sua irmã e sua mãe, de 83 anos. O jovem teria acordado com a fumaça e precisou da ajuda de vizinhos para retirar a família do apartamento. Elas inalaram fumaça e teriam se intoxicado. O fogo teria começado na sala e, segundo a moradora, a causa é uma incógnita, uma vez que não havia eletrodomésticos ligados no momento.


“Moro aqui há 14 anos e nunca tive qualquer problema com a parte elétrica. Na minha sala só tem um televisão, um aparelho de TV a cabo e um ventilador. Não sei o que pode ter provocado. Mas segundo meu filho, na primeira ocorrência, a sala era a parte mais atingida”, contou.


Erro do Corpo de Bombeiros? - A irmã de Mônica, a professora aposentada Tânia Oliveira, de 61 anos, disse que houve erros por parte da equipe de socorro do Corpo de Bombeiros, que liberou o prédio, antes do rescaldo.


“A primeira ocorrência foi às 2h da manhã, acionamos a equipe de socorro, que apagou as chamas e liberou o retorno dos moradores, às 4h. Por volta das 6h, quando achávamos que tudo estava resolvido, fomos alertados por moradores do prédio da frente, que gritavam que o fogo voltou. Pedimos o auxílio dos bombeiros mais uma vez, mas a escada magirus estava com defeito. O resultado é esse que vocês estão vendo: eu perdi tudo. Estou usando o vestido de uma moradora do 9ª andar porque não tenho o que vestir. Isso é um absurdo. Se tivéssemos sido alertadas sobre a possibilidade de novos incêndios teríamos tirados nossos pertences. Não deu tempo de salvar nada”, lamentou.


Moradora de apartamento no 17º andar, a aposentada Lucia Santiago, 67 anos disse que ficou com medo de seu apartamento ser atingido.


“Fui avisada do incêndio pelos funcionários do prédio e desci desesperada na companhia da minha filha. Foi horrível ver as chamas tomando conta de tudo”, relembrou.


O prédio foi liberado e a Defesa Civil informou que vai realizar hoje uma nova vistoria no apartamento 1301, o mais afetado e que se encontra interditado.


O apartamento 1101 também foi afetado, mas com menos intensidade do que o 1301, e encontra-se liberado. Parte da calçada e da rua permanecem isoladas por questões de segurança.



Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas