Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down 5,4907
Search

Alunos de Itaboraí precisam andar quilômetros para ter acesso à unidade escolar

Escolas sofrem com abandono do Governo

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 15 de janeiro de 2018 - 10:50
>> Alunos do Ciep 121 têm dificuldades de acesso à escola
>> Alunos do Ciep 121 têm dificuldades de acesso à escola -

O cenário de abandono provocado pela falta de investimentos e manutenção de escolas de São Gonçalo se estende também à cidades vizinhas, como Itaboraí. Conforme divulgado ontem, por O São Gonçalo, alunos do Ciep 121 - Professor Joadélio Coeço, em Marambaia, São Gonçalo - têm dificuldades para chegar à escola, por conta de matos e esgoto que impedem a travessia segura. Mas o problema não para por aí.

Uma distância de dois quilômetros divide os alunos do Colégio Estadual Doutor Moacyr Meirelles Padilha, no Apollo II, em Itaboraí, do Ciep 121. Os alunos da primeira unidade estão estudando no segundo local porque um incêncio atingiu a biblioteca e o laboratório de informática da escola do Apolo II. Percorrer o longo caminho e cortar as duas cidades tornou-se rotina de 600 estudantes que andam por até uma hora.

De acordo com Lourdes Monteiro, diretora do Sepe de Itaboraí, sem apoio do Estado, a comunidade escolar com apoio de um político da região, que prefere não ser identificado, resolveram botar a mão na massa e realizaram a reforma em toda a parte elétrica que havia  sido danificada com o incêndio. Apesar da obra pronta, os estudantes não foram autorizados pela Seeduc a retornar para unidade, que ociosa, tece todo o material da reconstrução roubado. Resultado: eles continuam sem escola. 

“A reforma da parte elétrica ocorreu, mas houve um furto e os alunos não puderam voltar. Estamos acompanhando esse caso de perto. Essa é a unida escola de ensino médio do bairro. Para o próximo ano letivo estamos preiteando junto a Seeduc para que os alunos sejam remanejados para uma escola municipal do bairro”, afirmou. 

Segundo o Sepe duas escolas foram fechada em Itaboraí este ano a Escola Estadual Lucas da Silva e a Escola Agrícola. 

Resposta

Sobre as dificuldades dos estudantes de acessarem o Ciep 121 - Professor Joadélio Codeço, em Marambaia, a prefeitura de São Gonçalo informou que a Secretaria de Conservação e Obras enviará uma equipe ao local nesta semana para tomar as providências necessárias. 

Falta de manutenção completa uma década

De acordo com o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) de São Gonçalo, hoje 70% da rede sofre com a falta de manutenção. Nos últimos dez anos, 15 escolas foram fechadas em definitivo na cidade. Os números evidenciam uma realidade que prejudica alunos e profissionais. 

“A seeduc reconhece que 70% da rede hoje precisa de manutenção. A situação que era ruim hoje é caótica. E vai piorar ainda mais a situação com o fechamento das turmas de 6º ano. O estado está se desresponsabilizando disso. Nove escolas já encerraram essa série que significa mais de 300 turmas.  Nossa preocupação é que, com isso, mais de 50 mil alunos fiquem sem escola. Já temos a evasão escolar e, ao invés de aproximar a escola do aluno, o Estado afasta. O Sepe vai continuar emprenhado em mudar esse quadro e lutará pela educação”, afirmou a diretora do Sepe São Gonçalo, Beatriz Lugão. 

Leia também:

Escolas sofrem com falta de investimentos do governo

Matérias Relacionadas