Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,3317 Euro up 5,5658
Search

Estudante da FFP em São Gonçalo terá sua história contada em evento de Nova Iorque

Ela faz 'vaquinha' para participar da homenagem

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 15 de outubro de 2017 - 11:00
Patrícia Rodrigues, de 35 anos, integra projeto sobre histórias de 45 mulheres negras brasileiras
Patrícia Rodrigues, de 35 anos, integra projeto sobre histórias de 45 mulheres negras brasileiras -

Por Cyntia Fonseca

Quando começou o curso de História na Faculdade de Formação de Professores (FFP-Uerj), em 2014, Patrícia Rodrigues, de 35 anos, jamais poderia imaginar que, dali a três anos, receberia um convite para participar de uma exposição internacional. Mas para tornar a viagem a Nova Iorque uma realidade e ver de perto o projeto do qual fará parte, ela conta com a ajuda de voluntários por meio de uma “vaquinha” online para custear a viagem e a estadia por uma semana.

Criado pela gonçalense Sandra Coleman - moradora de Nova Iorque há 10 anos - o projeto ‘Black Brazilian Women: Presence and Power’ (Mulheres negras brasileiras: presença e poder) reúne histórias e fotos de 45 mulheres de diferentes estados, universitárias e empoderadas.

“O objetivo é justamente desmistificar a imagem da mulher negra brasileira, que lá fora geralmente é objetificada e relacionada à sensualidade, prostituição ou Carnaval, por exemplo”, explica Patrícia.

Serão as mais variadas histórias de professoras, escritoras, jornalistas, advogadas, militantes ou não, permeadas por lutas, conquistas e preconceito.

“Fiquei muito lisonjeada de ter sido convidada para contar a minha história, mas a ideia de viajar e participar do coquetel de inauguração era apenas um sonho distante. Eu não tinha sequer passaporte”, conta a universitária. A expectativa aumentou quando algumas amigas se reuniram e tiveram a ideia de divulgar uma vaquinha online pelo site www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-uma-universitaria-28bb0f66-6674-481d-8a4a-cb1cc724a1cc.

Em menos de uma semana, mais de R$ 1 mil foram depositados, e a esperança de realizar a primeira viagem internacional começou a tomar forma.

“Criamos um grupo no Whatsapp ‘Uma preta puxa outra’, pois mais duas amigas, Giovana Mariano e Luane Bento, também foram convidadas a participar do projeto. E trocando ideias com outras amigas, resolvemos fazer a vaquinha”, acrescenta, dizendo que já conseguiu o valor para a retirada do passaporte e do visto internacional.

Para custear a viagem e a estadia por, pelo menos, sete dias nos Estados Unidos, o valor estimado é de R$ 8 mil, considerando a taxa de 8% do site. A exposição acontece de 4 a 21 de dezembro na Universidade Estadual de Nova Iorque.

Todos devem seguir o que almejam

Gonçalense, negra, casada e mãe de dois filhos pequenos. Essa descrição passou a não ser suficiente para Patrícia, quando, aos 32 anos, resolveu reviver o grande sonho que tinha desde os 16: estudar História na Uerj.

“Uma vez vim a Uerj para fazer um curso de inglês e me apaixonei. Falei para mim mesma na época que um dia iri0a estudar nessa faculdade”, conta.

Mas o tempo passou, e o medo de seguir por uma carreira que não fosse atrativa financeiramente, entre outras dificuldades que precisou enfrentar, fizeram com que o sonho acabasse adiado.

“Com 32 anos, quando fui mãe pela primeira vez, eu decidi. Ou eu trabalho a vida inteira por trabalhar ou começo a fazer aquilo que realmente quero. Sempre quis cursar História para entender, em primeiro lugar, a minha história, pois sempre ficaram muitas lacunas; para entender o mundo, e porque acredito na Educação como agente de transformação. E na Uerj, a História e Educação casam perfeitamente. Existe mais do que você só trabalhar e ganhar seu pão. Existem outras possibilidades, um mundo muito grande para descobrir, percorrer e defender”, relata Patrícia.

De São Gonçalo para o mundo, ela, que está no 7º período do curso e pretende futuramente iniciar um projeto com escolas de ensino médio em São Gonçalo, vê na viagem aos Estados Unidos, mais uma oportunidade de aprender e incentivar outras pessoas a também perseguirem sonhos, mesmo que antigos.

“Esse convite é resposta de tudo que comecei a sonhar lá na adolescência. Vai ser muito importante ter contato com outro modelo de universidade, com pessoas de outra formação”, acrescenta a futura professora.

Mais do que um sonho de estudante

Graduanda em Pedagogia também na Uerj-FFP, Cynthia Oliveira, 23, moradora do Sacramento, também começou a sonhar quando teve seu artigo aprovado para um congresso na Argentina. 

“Recebi um convite por e-mail para mandar um artigo para o 1º Encontro Internacional de Pesquisadores da Temática Prisões e Acesso a direitos educativos, que vai acontecer nos dias 10 e 11 de novembro, em Buenos Aires. Então, eu mandei um resumo só para avaliar minhas habilidades de escrita e domínio do tema, já que o assunto também é parte da minha monografia”, conta a universitária.

Mas o inesperado aconteceu. Além de ter o resumo aceito, Cynthia, que está no 8º período do curso, foi convidada a apresentar o trabalho na Universidade Nacional del Centro de La Provincia de Buenos Aires. 

“Pela condição financeira, não tinha intenção de ir. Esperava algo como ‘seu resumo está bom, mas não se encaixa no perfil do nosso evento’. E de repente, chega o e-mail dizendo que fui aceita. 

Na hora, nem acreditei”, acrescenta.

Para tornar sua primeira viagem internacional uma realidade, Cynthia estima o valor de R$ 3 mil para custear passagem, hospedagem e alimentação durante os dias do congresso. 

“Minha pesquisa é sobre a juventude de classes populares e a relação com o sistema socioeducativo. Com a participação nesse encontro internacional, quero muito poder dar visibilidade a esses jovens, para que os órgãos e instituições as quais esses assuntos lhes competem, se motivem e pensem em possibilidades de mudanças”, completa a graduanda.

Quem quiser ajudar, pode encontrar em contato com a estudante no e-mail cynthiaoliveiradasilva@gmail.com.

Matérias Relacionadas