Kit de carro que explodiu em SG tinha pouco uso

Enviado Direto da Redação
O carro explodiu no posto de gasolina situado no Colubandê

O carro explodiu no posto de gasolina situado no Colubandê

Foto: Divulgação

Por Renata Sena

O veículo que explodiu na noite do último sábado em um posto de gasolina do Colubandê, em São Gonçalo, recebeu o kit GNV menos de um mês antes do acidente, que culminou com a morte de Érica Lima, 27 anos, e deixou seu marido Jorge Siqueira ferido. A informação foi passada por familiares de Érica e confirmada pela empresa que fez a instalação do GNV, em Vilar dos Teles, na Baixada Fluminense.

O casal voltava de uma churrascaria quando parou para abastecer o carro no posto de combustíveis do Colubandê. Durante o abastecimento, o cilindro de GNV explodiu. O proprietário da empresa que fez a instalação do equipamento será chamado para depor na 74ªDP (Alcântara).

Riscos - O acidente coloca em prova esse sistema de abastecimento veicular. Será que a instalação de kit gás é realmente segura? Para Wesley Pinheiro, bombeiro, consultor e técnico de segurança e diretor da Fire Service do Brasil, uma das maiores empresas de formação de brigada de incêndio do país, não há o que temer.

De acordo com o especialista, os acidentes que acontecem com explosões normalmente são evidenciados por cilindros remanufaturados ou com reteste vencido. Sobre o acidente ocorrido em São Gonçalo, Wesley revela que é possível evitar.

“Para prevenir acidentes desse tipo, a pessoa tem que parar o carro na faixa indicada do posto, desligar o automóvel e as fontes de energia (rádio e farol), desembarcar todos, ir para frente do veículo e se distanciar do carro, pois na traseira é onde normalmente fica instalado o cilindro. Também não se deve fumar e nem usar o celular”, explicou.

Segundo ele, o fato da bomba ser junto com a dos outros combustíveis não interfere nessas situações pelo fato de o sistema ter canalização separada e independente.

A opinião é compartilhada pelo empresário Romildo Amor Divino, proprietário da empresa MR GNV, que tem 17 anos, no mercado. Segundo o empresário, o cliente que deseja instalar o kit gás no veículo deve procurar um posto autorizado pelo Inmetro. Apesar de ter uma vida útil de 20 anos, a cada cinco anos, o cilindro precisa passar por reteste. Uma outra dica de Romildo é ficar atento a pressão.

“Observe se o ponteiro do marcador de pressão, que fica no corpo da bomba de combustível do posto, está posicionado em até 220 bar, para não danificar o sistema de alimentação de gás do veículo. O uso de uma pressão incorreta diminui a vida útil do equipamento”, contou.

Veja também