Crise chegou ao Criaad-SG

Menores ficam em liberdade, por mais uma semana, por falta de alimentação nas unidades do Degase

Enviado Direto da Redação
Mais de 40 menores em semiliberdade foram liberados antes do Natal do Criaad, em Estrela do Norte

Mais de 40 menores em semiliberdade foram liberados antes do Natal do Criaad, em Estrela do Norte

Foto: Alex Ramos

Por Marcela Freitas

A crise financeira no Estado coloca em risco, agora, os trabalhos no Departamento Geral de Ações Sócio Educativas (Degase). A denúncia é do presidente do Sindicato dos Servidores do Degase, José Luiz Pereira Rodrigues, que avalia o atual momento como uma tragédia anunciada.

Sem quitar os débitos com prestadores de serviços, o Governo do Estado solicitou à Justiça, “ampliação” do indulto de Natal dos jovens em semiliberdade, que deveria ter terminado na última segunda-feira (02) e foi estendido até a próxima semana (09).

Em São Gonçalo, os 44 jovens que estavam no Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (Criaad), em Estrela do Norte, foram liberados, no último dia 20, para passar as festas de fim de ano com a família. O mesmo ocorreu com as outras 16 unidades do Degase no Estado.

Para José Luiz, essa medida fragiliza o sistema e coloca em risco o trabalho dos agentes. “As despensas estão vazias e muitos funcionários terceirizados demitidos. Quando esses jovens voltarem, não sabemos como ficará a situação. A falta de alimentos tensiona nosso trabalho. Eles já estão privados de liberdade e como ficarão sem comer? Como vamos trabalhar com esta situação, que causa distúrbio grave e pode, inclusive, propiciar rebeliões?”, questionou José Luiz.

Ainda segundo o presidente, não há diálogo com o Estado. “As portas do governo estão fechadas. Solicitamos auxílio do Ministério Público (MP), que já entrou com uma ação civil pública”, afirmou.

Em nota, o MP informou que, na época de fim de ano, é regra que se conceda o período entre o Natal e o Ano Novo para que o adolescente permaneça com a família. Todavia, desta vez, foi ajustado, em audiência de conciliação da Ação Civil Pública na Vara de Execução de Medidas Socioeducativas, que a concessão seria estendida até o dia 9 de janeiro para que se normalizasse a situação contratual dos fornecimentos nas unidades.

A assessoria de imprensa do Degase informou que os adolescentes retornarão com todos os serviços funcionando normalmente.

Veja também