Moradores de Vista Alegre pedem passarela na RJ-104

Escrito por Redação 26/11/2016 21:04, atualizado em 27/11/2016 10:55
A vítima fatal de atropelamento no local mais recente foi o pai da autônoma Monique Oliveira
A vítima fatal de atropelamento no local mais recente foi o pai da autônoma Monique Oliveira . Foto: Luiz Nicolella

Por Dayse Alvarenga e Laryssa Moura

"Eu nunca mais vou conseguir atravessar essa rodovia”. A frase é da autônoma Monique Oliveira, de 30 anos, que perdeu o pai vítima de um atropelamento na RJ-104, altura de Vista Alegre, São Gonçalo, no dia 14 de outubro. O acidente, no entanto, não é um caso isolado. É uma triste realidade para muitos outros moradores que perderam parentes ou amigos nas mesmas circunstâncias por falta de uma passarela no local.

O pai de Monique, Manuel Vitor Zagalo, então com 80 anos, morreu após ser atropelado por um veículo, depois de sair de casa com um corte na mão para buscar socorro na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santa Luzia.

“Quando eu cheguei ao local, a equipe do Corpo de Bombeiros estava, mas meu pai teve traumatismo craniano e faleceu na hora”, contou Monique desolada.

Nas proximidades da estrada, no mesmo ponto onde o idoso foi atropelado, fica o Colégio Estadual Mauá, que também contabiliza estudantes mortos. E para tentar evitar novos atropelamentos, os funcionários da escola auxiliam as crianças. “Atravessamos as crianças todos os dias porque já perdemos muitos alunos atropelados. Os moradores já estão cansados de pedir e estamos há anos nessa luta por uma passarela. O índice de atropelamentos e mortes aqui só aumenta sem que nada seja feito”, disse o porteiro da unidade de ensino, Robson Magno, 52.

Contactado por O SÃO GONÇALO, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ) não enviou uma resposta sobre o pedido dos moradores. O Batalhão de Policia Rodoviária (BPRV) também não informou sobre número oficial de atropelamentos e mortes no local.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas