Do gol ao tomate: locução na veia

Talento do narrador esportivo Euzebio Santos também pode ser conferido de sacolão em SG

Escrito por Redação 28/11/2016 12:36, atualizado em 27/11/2016 08:30
Euzebio anuncia produtos de sacolão no Vila Três comentando notícias sobre times de futebol
Euzebio anuncia produtos de sacolão no Vila Três comentando notícias sobre times de futebol . Foto: Filipe Aguiar

Por Dayse Alvarenga e Rennan Rebello

“Olha o quilo do tomate a R$1,99! Vocês estão sabendo que Flamengo mandará seus jogos no ano que vem no estádio da Portuguesa na Ilha do Governador. Olá, senhor aproveite essa oferta da batata, e me conte, você está satisfeito com a situação do seu Fluminense?”. Quem vê o locutor de um sacolão no Vila Três anunciar os preços dos alimentos, informando e interagindo com os clientes sobre as notícias do futebol talvez não faça ideia que aquele sujeito é o narrador esportivo Euzebio Santos, de 42 anos, nascido em Araruama mas radicado em São Gonçalo desde 1995.

Euzebio sempre procurou trazer a locução esportiva para seu ofício de promotor de vendas desde quando trabalhava num mercado no bairro da Trindade.

“A primeira oportunidade que surgiu foi para trabalhar como auxiliar de serviço gerais e no estoque eu ficava narrando gols dos clubes para divertir meus colegas. Um dia, o gerente me chamou e pediu para eu falar ‘lagarto’ no microfone, pois o locutor não conseguia pronunciar essa palavra para anunciar as ofertas do açougue. O chefe gostou de minha desenvoltura e, pouco tempo depois, passei a ser o locutor oficial”, contou.

Ao se estabilizar no ramo da locução comercial, Euzebio deixou de lado seu antigo sonho.

“O mais engraçado é que eu não gostava de ouvir futebol no rádio, mas uma vez fui a uma loja de discos, vi um vinil na época em que o Vasco foi bicampeão carioca (1987-88) e tinha os gols do Romário, meu ídolo, narrados por grandes nomes, como José Carlos Araújo, Edson Mauro e passei ouvir aquele disco todos os dias. Desde então, passei a sonhar em ser cronista esportivo, inclusive o primeiro jogo que narrei foi entre Radar, meu time de coração, contra o Morro Grande, em Araruama. Concluí o curso na escola de rádio, no entanto, como sou de origem humilde, tive que me focar na narração comercial nas lojas e que eu também gosto muito, interagir com o público e informá-lo. Foi através dessa prática que acabei aprimorando a dicção e minha técnica vocal”, revelou.

Locutor ganhou concurso realizado por rádio carioca

Como o sonho de trabalhar em uma grande rádio ficava mais distante e dividindo seu tempo entre narrações em lojas e em jogos de peladas que era contratado, ao completar 40 anos, pensou em desistir de seu sonho de juventude, até narrar um gol que mudaria sua vida.

“Eu gravei um gol do Flamengo, sem tanta emoção, mas o meu amigo Rafael me incentivou bastante e acabei enviando o áudio para Rádio Globo que, na época, tinha lançado o concurso: ‘Craque da Voz’ para narradores esportivos. Algumas semanas depois, a produção me ligou dizendo que eu tinha sido um dos selecionados para disputar o prêmio”, lembrou. 

Euzebio venceu a competição e teve a oportunidade de narrar com o microfone da emissora carioca a final da Taça das Favelas e um jogo do Campeonato Carioca entre Flamengo x Nova Iguaçu, dividindo a narração com Luiz Penido. Desde então, trabalha em rádios, além de fazer eventos festivos no Rio de Janeiro. 

“Passei a narrar em mais eventos esportivos, inclusive no Centro de Futebol Zico lá no Rio. Graças a Deus sempre sou convidado para algum evento aos quais dou emoção com a minha voz. Nesse meio tempo ,também tive a oportunidade de trabalhar na webrádio Futrio.net e na rádio Cabo Frio AM”, contou empolgado.

Para quem deseja contratar o “craque da voz”, pode entrar em contato através do telefone 99463-5494.

/Euzebio anuncia produtos de sacolão no Vila Três comentando notícias sobre times de futebol
Euzebio anuncia produtos de sacolão no Vila Três comentando notícias sobre times de futebol . Foto por Filipe Aguiar
/O narrador Euzebio Santos interage com o público
O narrador Euzebio Santos interage com o público. Foto por Rennan Rebello

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas