Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Atendimento em maternidade cresce 150%

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 08 de junho de 2016 - 09:58
Imagem ilustrativa da imagem Atendimento em maternidade cresce 150%
Prefeitura Municipal de São Gonçalo
A Maternidade Municipal Luiz Palmier, em São Gonçalo, bateu recorde no número de partos no mês de maio: foram 453 nascimentos. O número é mais de 150% maior que o mesmo período do ano passado, quando 165 bebês nasceram na unidade, que se tornou referência na Região Metropolitana devido ao fechamento de hospitais nos municípios vizinhos e a ampliação do número de leitos e investimentos realizados nos últimos três anos. 
Pacientes de cidades como Cachoeiras de Macacu, Maricá, Itaboraí, Seropédica e Magé estão entre os principais atendimentos realizados no Luiz Palmier. No mês passado, 146 moradoras do município de Itaboraí procuraram assistência, entre atendimentos de emergência, internação e parto. 
A estudante Maristela Barcelos, 14 anos, faz parte da estatística dos pacientes que vem de outros municípios. Durante toda a gestação, ela fez uma viagem de três horas entre os municípios de Magé, onde mora, e São Gonçalo, em busca de atendimento de emergência. Na madrugada desta terça-feira (07) nasceu o Miguel. 
"Vim de casa passando mal e como pegamos muito engarrafamento, o tempo de viagem aumentou. O Miguel nasceu nessa madrugada, graças a Deus com saúde. Fui muito bem acolhida aqui, desde as consultas até o nascimento do meu filho”, garantiu Maristela. 
Em sua quarta gestação, a operadora de caixa Paola Ramos, 36 anos, está internada há 17 dias na Maternidade Luiz Palmier. Moradora de Niterói, ela foi recusada no Hospital Estadual Azevedo Lima, no bairro Fonseca. Ela chegou até São Gonçalo seguindo orientações de amigos, que indicaram a unidade. 
"Estou com 30 semanas de gestação. Estava perdendo muito líquido e precisava de ajuda. Aqui fui muito bem recebida. Estou fazendo o acompanhamento com exames de sangue, urina e eco doppler para conseguir chegar pelo menos aos oito meses de gravidez", explica Paola Ramos. 
Partos normais - Com a proposta de humanização, a secretaria de Saúde melhorou a qualidade dos serviços. incentivando o número de partos normais. Hoje são realizados em média 100 a mais que cesarianas. 
"Mesmo a cirurgia tendo alcançado avanços consideráveis, o corpo humano é preparado para o momento da parturição. A cesariana é uma cirurgia muito importante que salva vidas quando realizada nos casos de real necessidade. Por outro lado, estudos mostram que crianças que nascem pelo parto normal apresentam menor chance de desenvolvimento de algumas doenças, como: respiratórias, obesidade, entre outras", explica um dos enfermeiros obstétricos da unidade, Rodrigo Rocha. 
Segundo ele, durante o acompanhamento do trabalho de parto, a mulher se torna protagonista do processo participando da tomada de decisões. "A recuperação pós parto normal é mais rápida e necessariamente o nascimento ocorre após a mulher entrar em trabalho de parto, indicando que o bebê está de fato preparado para nascer", completa. 
Uma equipe especializada acompanha o processo de gestação das pacientes, desde o pré-natal a saída da maternidade. Além dos partos, inúmeros procedimentos cirúrgicos são realizados na unidade, como curetagem uterina, laqueadura de trompas, drenagem de abcesso, videohisteroscopia, entre outros. 
Reforma e ampliação - Nova recepção climatizada com 40 cadeiras e banheiros adaptados. Uma sala de acolhimento foi instalada logo após a recepção, o que garante maior agilidade no atendimento, e novos consultórios médicos. 
Espaço Mãe Canguru - Integra o programa de humanização no atendimento, conta com quartos com dez leitos para que as mães possam permanecer na unidade mesmo após a alta médica, porém próximas dos recém-nascidos que, por motivos de saúde, ainda precisam permanecer internados. 
Espaço Cegonha - Em uma enfermaria humanizada e totalmente voltada às mães em pós-parto, a nova área conta com o SPA do Bebê, local onde os profissionais de enfermagem dão às primeiras orientações às mães sobre o primeiro banho e cuidados necessários. Em outro espaço, reservado e junto aos leitos e berços do alojamento conjunto, médicos fazem os procedimentos. 
Cegonha Móvel - O veículo elétrico do projeto "Cegonha Móvel" funciona 24 horas e facilita o acesso ao Hospital Luiz Palmier, que tem trajeto inclinado. O projeto foi implantado após a realização de uma pesquisa com as usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), que comprovou que 50% das pacientes da unidade chegam ao local através de transporte público. 
Espaço Rosa - Com o objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Com um ambiente amplo e moderno, o espaço conta com dois consultórios médicos, mamografia e ultrassonografia. No local, as mulheres também têm informações sobre planejamento familiar com uma equipe formada por enfermeiros e indicações para fazer laqueadura e o companheiro, a vasectomia. Com capacidade para fazer cerca de mil mamografias e, aproximadamente, 1.500 ultrassonografias por mês, além das consultas clínicas, o espaço faz cinco tipos de ultrassonografia, biópsia e quatro tipos de mamografia. 
Kit Cegonha - Como parte do atendimento humanizado e como forma de suporte às mamães que deixam a maternidade, a Prefeitura de São Gonçalo garante, desde abril de 2015, o Kit Cegonha a todas as pacientes. O Kit é entregue logo após o nascimento do bebê e contêm 16 itens, entre bolsa, manta, toalha de banho e roupas, produtos essenciais para o enxoval. 
Consultório Odontológico para Gestantes – Serviço pioneiro no Estado do Rio de Janeiro, o consultório odontológico para gestantes da rede municipal de Saúde de São Gonçalo está completando um dois de funcionamento. Com média de 12 pacientes atendidas por dia, o consultório está acabando com o mito de que mulheres grávidas não podem ir ao dentista. 
Alojamento Conjunto - Chegada de 86 berços que incentiva e fortalece o vínculo entre mãe e filho. Assim, durante a internação, mãe e filho permanecem unidos nos leitos. 

Matérias Relacionadas