Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9953 | Euro R$ 5,4069
Search

Câncer de mama ainda é o que mais acomete mulheres em todo o mundo

O câncer de mama permanece como um perigo constante para mulheres

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 24 de janeiro de 2024 - 11:52
Todos os anos várias mulheres são acometidas pelo câncer de mama, uma doença fácil de ser tratada desde que haja um diagnóstico precoce
Todos os anos várias mulheres são acometidas pelo câncer de mama, uma doença fácil de ser tratada desde que haja um diagnóstico precoce -

Mesmo com campanhas anuais de grande destaque e comoção na mídia, o câncer de mama permanece como um perigo constante para mulheres. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo. Recentemente pesquisadores da Universidade de Moji das Cruzes, concluíram que aproximadamente 48 pessoas morrem diariamente por conta do tumor mamário. No Brasil,  29% dos casos de tumores malignos representam incidência de câncer de mama em mulheres, segundo a pesquisa.

Mestre e Doutor em medicina pela URFJ, o ginecologista Bartolomeu da Câmara França, da Clínica Niterói explicou sobre o assunto. Segundo ele, especialista no trato de patologias que atingem as mamas, o fator genético é o mais preocupante e decisivo para determinar a existência do câncer. “O histórico familiar não deve ser apenas das mulheres, visto que a doença, apesar de raramente, também pode atingir homens, que segundo um levantamento do INCA, representa 1% deste total. Apesar de ser traiçoeira a mama não é silenciosa como a próstata. Ela faz um 'estardalhaço' desde cedo e dá sinais visíveis da doença. O que pedimos é para que as mulheres não fiquem com essa ideia de auto exame à procura dos sinais. Quando um sinal já existe, significa que algo deixou de ser visto muito antes. Um diagnóstico precoce não inibe, mas faz toda a diferença no tratamento e cura”, enfatizou.

Mestre e Doutor em medicina pela URFJ, o ginecologista Bartolomeu da Câmara França
Mestre e Doutor em medicina pela URFJ, o ginecologista Bartolomeu da Câmara França |  Foto: Divulgação

Leia também:

MPRJ denuncia quatro funcionários do MetrôRio por morte de passageiro arrastado por composição

Workshop de Fisioterapia movimenta Hospital Estadual Roberto Chabo, em Araruama


O alerta permanece o mesmo e para todos os meses do ano, ao contrário de lembrar da saúde ginecológica apenas nas campanhas do Outubro Rosa: o exame da mamografia aos 40 anos é de suma importância para a prevenção das consequências mais graves do câncer e as visitas regulares ao ginecologista devem ser feitas ao menos duas vezes ao ano. "Uma mulher não pode se palpar e achar que isto é prevenção. O palpar (quando necessário) deve ser feito por mãos experimentadas de um médico ou enfermeiro bem capacitado e que com o critério de uma detalhada anamnese, exame físico, exame complementar e biópsia poderão determinar a existência de um câncer e o tratamento indicado para cada caso", finalizou o especialista, que também é professor e pesquisador da UFF.

Matérias Relacionadas