Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Segurança da Zara se torna réu por crime de racismo contra jogador

Fato aconteceu em junho deste ano dentro de loja no Barra Shopping, Zona Oeste do Rio

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 24 de novembro de 2023 - 21:42
Henrique Durães Bernardes é acusado de seguir o jogador e o impedir de sair da loja
Henrique Durães Bernardes é acusado de seguir o jogador e o impedir de sair da loja -

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) tornou Henrique Durães Bernardes, segurança de uma loja da Zara no Barra Shopping, réu por crime de racismo. O homem foi acusado de seguir Guilherme Ribeiro Quintino Machado, jogador do Brusque, e impedir o rapaz de deixar a loja.

Além de fazê-lo réu, o MPRJ também pediu que a unidade da Zara, no shopping do bairro na Zona Oeste, seja fechada por três meses. O caso aconteceu em junho deste ano, no dia 18, e foi registrado na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi).

Leia também: 

Clientes devolvem compras da Zara após denúncia de racismo

Moradora de SG pede "socorro" a Defesa Civil para salvar residência

A denúncia do MPRJ diz que: "Ao se voltar contra pessoa de raça negra, sem qualquer justificativa plausível, dando-lhe tratamento constrangedor e humilhante, e que certamente não se dispensaria a outras pessoas, o denunciado impôs ao consumidor negro restrições de locomoção e exigências desarrazoadas, com potencial de causar-lhe odiosa inferiorização e perversa estigmatização”.

O fato foi gravado pela vítima e compartilhado nas redes sociais. Na legenda do post, Quintino escreveu que, após sair da loja, o segurança "me fez retornar com minha namorada para mostrar onde eu havia deixado a ecobag da loja".

Confira o vídeo postado no Instagram do jogador.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Guilherme Quintino (@_quintino7)

Matérias Relacionadas