Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 5,1957 | Euro R$ 5,5298
Search

Vítima de acidente de moto no Fonseca segue em estado grave

Segundo especialista, motociclista precisam redobrar atenção ao posicionamento na pista para diminuir número de colisões

relogio min de leitura | Escrito por Felipe Galeno | 17 de janeiro de 2023 - 16:26
Mulher segue internada no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal); namorador morreu durante acidente no último dia 4
Mulher segue internada no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal); namorador morreu durante acidente no último dia 4 -

Continua em estado grave a mulher ferida em um acidente de trânsito no Fonseca, em Niterói, ocorrido no último dia 4 de janeiro. Monique Bezerra da Conceição segue internada no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), também no Fonseca, para onde foi levada no dia do acidente de moto.

A colisão que deixou Monique com ferimentos graves também foi responsável pela morte de seu namorado, Renan Araújo Vales, de 31 anos. O morador de São Gonçalo estava pilotando a moto, que acabou batendo de frente com um ônibus enquanto seguia na rua Benjamin Constant.

O caso segue a tendência de estatísticas divulgadas pelo Nittrans, que constatam as colisões como os principais tipos de acidente no município de Niterói. De acordo com o levantamento, entre janeiro e novembro do ano passado, foram 984 batidas, mais da metade dos acidentes no ano.

As motocicletas foram o segundo veículo mais comum em registros de acidentes de trânsito na cidade, segundo os dados, perdendo apenas para os automóveis. Para Égas Caparelli-Dáquer, neurologista e membro da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET), uma das medidas que pode contribuir para diminuir os números de colisões com motos é redobrar a atenção para a posição ocupada na pista.

"A grande dica para os motociclistas é lembrá-las que o posicionamento delas na pista nem sempre é visível para o motorista. Você vê que aumentou muito o número de acidentes na medida em que as pessoas de moto passaram a atravessar entre as pistas, o que aumenta muito o risco", afirma o médico especialista em medicina de tráfego.

Égas destaca que o motociclista, assim como os motoristas de outros veículos e pedestres, precisam "pensar em adotar uma conduta defensiva" na hora de trafegar para ajudar a diminuir os números de acidentes, que tem voltado a crescer. A mesma pesquisa feita pela Nittrans no passado apontou um aumento de 313% no índice de acidentes em 2022.

"No mundo inteiro os acidentes de trânsito durante a pandemia diminuíram, e agora estão voltando, por motivos óbvios, e isso é uma coisa para a qual devemos estar atentos", comenta o médico.

Matérias Relacionadas