Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down 5,4907
Search

Crescimento de cracolândias causa preocupação em São Gonçalo

Problema parece longe de acabar

relogio min de leitura | Escrito por Ana Carolina Moraes | 16 de maio de 2022 - 15:47
Dependentes químicos formam as chamadas Cracolândias em diferentes locais do município
Dependentes químicos formam as chamadas Cracolândias em diferentes locais do município -

A Cracolândia de São Gonçalo continua se desenvolvendo e ao que parece o problema está longe de acabar. Em 2021, O SÃO GONÇALO mostrou que diversos usuários de drogas se reuniam em pontos específicos do município e que a população do local ficava insegura com eles. Em 2022, a situação permanece. A Rua Aluísio Neiva, no Centro, e a Casa das Artes Professor Helter Jerônimo Luiz Barcellos são alguns dos pontos nos quais podem ser vistos usuários de drogas em diversos momentos do dia. São pais viciados com crianças de colo, mulheres que se sujeitam a ficarem morando nas ruas e homens que abdicam de seus empregos por causa da entrega ao vício.

A Rua Aluísio Neiva é um dos pontos estratégicos dos usuários de drogas, já que se localiza próximo ao Escadão do Menino Deus, comunidade onde é possível obter o crack. 

Uma pessoa que passava de carro pelo local contou ao OSG que passa por ali com muito medo. “Aos sábados então aqui fica cheio de usuários por causa do baile funk na comunidade. Dá muito medo passar por aqui, é assustador! Tem crianças que vem com os pais usuários e ficam aqui, submetidas a essa realidade”, contou. 

Muitas das pessoas levavam vidas comuns até se entregarem ao vício e não conseguem sair dessa situação hoje.

Próximo à Casa das Artes é possível ver roupas desses usuários estendidas pelas ruas, secando, ao sol. O ponto é próximo ao Polo Sanitário Washington Luiz e ao Pronto Socorro de SG, o que causa ainda mais insegurança em que vai buscar uma ajuda no quesito saúde. 

Na matéria anterior, o OSG demarcou, pelo menos, sete pontos de 'cracolândia' no município, incluindo em Neves.

Para além das ruas, os dependentes de crack ficam, muitas vezes, em praças pelo município de São Gonçalo, o que também causa inseguranças em pais que desejam levar seus filhos na região para que eles brinquem. As praças de Nova Cidade e do Colubandê são exemplos disso. 

Procurada, a Prefeitura informou que realizava ações para retirar essas pessoas das ruas e auxiliá-las com novos recursos para se livrar do vício. Dessa vez, o órgão respondeu que "tem realizado semanalmente ações para auxiliar pessoas em vulnerabilidade social. Na Rua Aloísio Neiva, no Centro da cidade, as ações de abordagem são frequentes, com atendimento médico e orientação para pessoas em situação de rua, por meio de uma integração entre as secretarias de Assistência Social, Ordem Pública e Conservação. As pessoas são convidadas a conhecer os equipamentos que oferecem abrigo e assistência. Na última semana, o Poder Executivo firmou uma parceria com a Secretaria de Planejamento e Gestão do Governo do Estado do Rio de Janeiro, para oferecer atendimento a pessoas em vulnerabilidade social, disponibilizando uma equipe especializada do Estado para reforçar as abordagens pela cidade".

Matérias Relacionadas