Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

Desafio do Lixo na Praia do Yamagata, no Gradim

Ação acontece neste sábado (7)

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 06 de maio de 2022 - 09:23
Grupo durante uma ação
Grupo durante uma ação -

No próximo sábado (07), ocorrerá mais uma edição do "Desafio do Lixo -na Praia da Yamagata", no Gradim, em São Gonçalo. Desde 2019, um grupo de pessoas mostra que é possível replantar e trazer o mangue de volta na Praia das Pedrinhas.

Desta vez, ação tem novo endereço. Através da estudante Yasmin Porto, moradora da Favela do Gato, o projeto será expandido. A menina de 13 anos que, no auge da pandemia, fez um mutirão de limpeza com outras crianças na orla da praia inspirada no Desafio do Lixo, foi a influência para que os agentes transformadores do " Desafio do Lixo" visitem o seu bairro. 

O mandato do vereador Romario Regis participa dessa ação desde o começo, sendo um dos idealizadores do projeto. “Sempre me incomodou a quantidade de sujeira que vejo nas orlas da nossa cidade. Pensar uma São Gonçalo mais limpa foi uma das motivações para a criação do Desafio do Lixo, assim como dar visibilidade à importância da educação ambiental”, conta Romario.

O Desafio do Lixo

O desafio do lixo acontece em São Gonçalo desde 2019. Até então esse mutirão sempre acontecia na Praia das Pedrinhas, uma região com grande potencial turístico do nosso município que, infelizmente, não é preservada da forma que deveria. Cabendo a nós, como sociedade, limpar o que sujamos. 

Em março de 2022 uma pesquisa da universidade Vrije Universiteit Amsterdam, na Holanda, mostra que a poluição microplástica foi detectada no sangue humano pela primeira vez, com cientistas encontrando as minúsculas partículas em quase 80% das pessoas testadas.

A descoberta mostra que as partículas podem viajar pelo corpo e podem se alojar em órgãos. O impacto na saúde ainda é desconhecido. Mas os pesquisadores estão preocupados porque os microplásticos causam danos às células humanas em laboratório e as partículas de poluição do ar já são conhecidas por entrar no corpo e causar milhões de mortes precoces por ano.

De acordo com informações do jornal The Guardian, os cientistas analisaram amostras de sangue de 22 doadores anônimos, todos adultos saudáveis. Cerca de 30% continha poliestireno, usado para embalar alimentos e outros produtos. Outros 25% das amostras de sangue continham polietileno, do qual são feitas sacolas plásticas.

Serviços

Data: 07 de maio de 2022

Horário: 8h30

Ponto de encontro: Paróquia Nossa Sra do Perpétuo Socorro e São José Operário, Gradim

Matérias Relacionadas