Fachin diz que não vai aceitar 'intervenção' das Forças Armadas nestas eleições

Presidente do TSE também reagiu a fala de Jair Bolsonaro (PL) sobre a contagem de voto paralelo dos militares para estas eleições

Escrito por Redação 29/04/2022 20:20, atualizado em 29/04/2022 20:20
Presidente do TSE, ministro Edson Fachin
Presidente do TSE, ministro Edson Fachin . Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Após Arthur Lira e Rodrigo Pacheco se pronunciarem contra a fala de Jair Bolsonaro (PL) sobre a contagem de voto paralelo das Forças Armadas para estas eleições, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, se manifestou nesta sexta-feira (29) ao dizer que não vai aceitar a 'intervenção' dos militares nas eleições.

Fachin concedeu entrevista coletiva no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Veja um dos trechos: "Vamos atuar de maneira preventiva para que não haja incitação a um ambiente beligerante na sociedade, e onde houver, temos que levar diálogo e bandeira da paz. Não há outro caminho fora da democracia, que é um canteiro de obras que tem sons altos, ruídos".

O presidente do TSE ainda afirmou, indiretamente para Bolsonaro, que a Justiça Eleitoral tem atuado no combate às fake news. “Quem está interessado na democracia não difunde informação, não incita violência, não incita desobediência contra o resultado do escrutínio popular”, falou Fachin.

Leia mais: Lira e Pacheco defendem sistema eleitoral após fala de Bolsonaro

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas