Lira e Pacheco defendem sistema eleitoral após fala de Bolsonaro

Presidentes da Câmara e do Senado se manifestaram nesta quinta-feira (28). Na quarta-feira (27), Jair Bolsonaro falou que as Forças Armadas sugeriram ao TSE a contagem de votos de maneira paralela nestas eleições

Escrito por Redação 28/04/2022 21:21, atualizado em 28/04/2022 21:21
Presidentes da Câmara e do Senado se manifestaram contra fala de Bolsonaro
Presidentes da Câmara e do Senado se manifestaram contra fala de Bolsonaro . Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Após a fala recente de Jair Bolsonaro (PL) sobre a contagem de voto paralelo das Forças Armadas para estas eleições, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), reagiu ao que foi dito pelo chefe do Executivo e defendeu com veemência a legitimidade do processo eleitoral brasileiro. 

"O processo eleitoral brasileiro é uma referência. Pensar diferente é colocar em dúvida a legitimidade de todos nós, eleitos, em todas as esferas. Vamos seguir - sem tensionamentos - para as eleições livres e transparentes", escreveu Lira no Twitter.

Na manhã desta quinta-feira (28), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), também se manifestou: "As instituições e a sociedade podem ter convicção da normalidade do processo eleitoral. A Justiça Eleitoral é eficiente e as urnas eletrônicas confiáveis. Ainda assim, o TSE está empenhado em dar toda transparência ao processo desde agora, inclusive com a participação do Senado".

O presidente Jair Bolsonaro disse, na última quarta-feira (27), que as Forças Armadas sugeriram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que a contagem de votos nestas eleições fosse feita de maneira paralela, ou seja, uma apuração própria dos militares. 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas