Milton Ribeiro dispara arma de fogo em aeroporto de Brasília

Disparo acidental aconteceu quando o ex-ministro tentava desmuniciar sua arma para despacho

Escrito por Redação 26/04/2022 14:22, atualizado em 26/04/2022 14:22
Milton Ribeiro, ex-ministro da educação do governo Bolsonaro
Milton Ribeiro, ex-ministro da educação do governo Bolsonaro . Foto: Divulgação EBC

O ex-ministro da educação, Milton Ribeiro, disparou, acidentalmente, uma arma de fogo no guichê da companhia aérea Latam, no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, na tarde desta segunda-feira (25). Uma funcionária da Gol foi atingida por estilhaços do projétil e teve ferimentos leves.

À TV GLOBO, a Gol comunicou que a funcionária, cuja identidade foi mantida em sigilo, foi atendida no próprio aeroporto e passa bem. Não havia outros passageiros no balcão. De acordo com a Latam, não houve vítimas.

"Ela está super bem. Não houve qualquer ferimento grave, ela foi atingida por estilhaços, não precisou ir ao hospital ou levar pontos. Ela teve atendimento no aeroporto. O que ocorreu foi mais o susto do caso mesmo. Nós estamos dando todo o suporte para a colaboradora.", informou a Gol.

Milton Ribeiro estava em Brasília para “resolver pendências administrativas” e embarcaria num voo com destino a São Paulo às 19h50. Ele foi encaminhado à superintendência da Polícia Federal para prestar depoimento.

O ex-ministro do governo Bolsonaro contou que chegou ao balcão da Latam por volta das 17h, que a arma foi despachada pela internet e que o acidente ocorreu enquanto ele tentava remover sua munição.

"Com medo de expor sua arma de fogo publicamente no balcão, tentou desmuniciá-la dentro da pasta. Como havia outros objetos dentro da pasta, o local ficou pequeno para manusear a arma e ocorreu o disparo acidental. O projétil atravessou o coldre e sua pasta e se espalhou pelo chão.”, diz o depoimento.

A Inframérica, concessionária responsável pela administração do Aeroporto Juscelino Kubitschek, informou que, por envolver uma arma de fogo, o caso é de competência da Polícia Federal e não discutirá o assunto.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas