Ídolo do Corinthians, Freddy Rincón morre na Colômbia, aos 55 anos

O colombiano sofreu grave acidente de carro na madrugada de segunda e estava internado desde então

Escrito por Redação 14/04/2022 13:22, atualizado em 14/04/2022 14:02
Freddy Rincón levantando a Taça do Mundial, em 2000
Freddy Rincón levantando a Taça do Mundial, em 2000 . Foto: Divulgação

Ídolo do Corinthians, o ex-jogador Freddy Rincón morreu em Cali, na Colômbia, na madrugada desta quinta-feira (14). O colombiano sofreu traumatismo craniano após seu carro ter sido atingido por um ônibus na madrugada desta segunda-feira (11) e estava internado desde então. Ele chegou a ser operado, mas não resistiu.

“A Clínica Imbanaco, com prévia autorização e em companhia dos familiares, se permite informar à opinião pública que, apesar de todos os esforços realizados por nosso corpo médico e assistencial, o paciente Freddy Eusebio Rincón Valencia faleceu no dia de hoje 13 de abril de 2022. Lamentamos profundamente este sensível acontecimento, enquanto estendemos nossas mais profundas condolências à família, amigos, parentes e seguidores. Jamais haverá forma de expressar o que isto significa realmente para nós. Convidamos a todo o país a recordá-lo com alegria por tudo o que nos brindou em vida com suas conquistas desportivas.”, expressou a instituição responsável pelo seu atendimento, em nota oficial.

Freddy Eusébio Gustavo Rincón Valencia nasceu em Buenaventura, na Colômbia, no dia 14 de agosto de 1966. Ele fez sua estreia no profissional pelo Atlético Buenaventura, em 1985, passando por Tolima, Independiente Santa Fé e América de Cali, antes de deixar sua terra natal pelo Palmeiras, em 1994, já como um dos principais nomes da seleção colombiana.

O meia teve uma curta primeira passagem pelo Verdão, destacando-se como um dos principais nomes do clube na conquista do campeonato paulista, antes de transferir-se para o Napoli, da Itália, após brilhante desempenho na Copa do Mundo daquele ano.

No ano seguinte, Rincón foi para o Real Madrid, mas não obteve o mesmo sucesso na Espanha e voltou ao Palmeiras em meados de 1996, registrando 22 gols em 76 partidas pelo clube, antes de ser comprado pelo Timão, por U$1,3 milhão, em 1997.

No Corinthians, o jogador passou a atuar como cabeça de área, formando dupla com Vampeta em um quarteto de meio-campo que contava ainda com Ricardinho e Marcelinho Carioca e se eternizaria como um dos melhores da história do clube, conquistando o bicampeonato brasileiro, em 98 e 99, e o Mundial, em 2000.

Pouco depois deixou o Timão pelo Santos. Ele teve ainda uma discreta passagem pelo Cruzeiro, antes de retornar ao Corinthians, em 2004, já aos 37 anos. Ao todo foram 11 gols em 158 partidas pelo clube do bairro do Bom Retiro, na capital paulista.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas