Morre o brasileiro que sobreviveu ao Holocausto

Andor Stern faleceu aos 94 anos, dentro de sua casa

Escrito por Redação 07/04/2022 18:49, atualizado em 07/04/2022 18:49
Ele foi enterrado nesta quinta-feira (7)
Ele foi enterrado nesta quinta-feira (7) . Foto: Reprodução/Redes Sociais

Morreu nesta quinta-feira (7), em São Paulo, Andor Stern, com 94 anos, o único brasileiro que sobreviveu ao Holocausto. O massacre que assassinou milhares de judeus e estrangeiros durante a Segunda Guerra Mundial.

O anuncio foi feito pelos familiares dele nas redes sociais. Segundo sua família, Stern faleceu em sua casa, mas não foi informado o motivo do óbito. No comunicado sobre sua morte, foi ressaltado o carinho da população.

"Nossa família agradece desde já por todas as mensagens de apoio e palavras de carinho. Andor dedicou grande parte de seu tempo às suas palestras sobre o Holocausto, ensinando os horrores do período para que não se neguem nem se repitam, e motivando as pessoas a valorizarem e agradecerem a vida e a liberdade. O carinho de vocês sempre foi muito importante para ele."

Andor Stern nasceu em São Paulo, no ano de 1928, porém logo cedo foi junto com seus pais para a Hungria. A invasão da Polônia por Adolf Hitler em 1939, o início da Segunda Guerra Mundial, Andor com sua família passaram a ser considerados inimigos pelo partido nazista, já que os brasileiros e o Brasil estavam lutando contra a Alemanha.

1944, Stern com sua mãe, avós, tio e sua tia grávida foram para o campo de concentração de Auschwitz, na Polônia. Sua família foi separada ao chegar no local, menos Stern. Os outros foram mortos nas câmaras de gás de local.

Ao final da guerra em 1945, o brasileiro foi solto e ficou vivendo na Hungria ainda por três anos. Após esse tempo, ele voltou ao Brasil.

Stern faleceu com os números 83892, tatuado em seu braço, número que o identificava no campo de concentração.

Andor deixou cinco filhos, netos e bisnetos, seu sepultamento ocorreu já nesta quinta-feira (7), no Cemitério Israelita do Embu, em Embu das Artes, São Paulo. 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas