'Todos pelo Juninho': Autista diagnosticado com leucemia precisa de medicamentos; vídeo!

Jorge Luiz dos Santos Júnior, de 31 anos, luta contra a doença desde 2015; veja como ajudar

Escrito por * Pedro Di Marco 05/04/2022 15:04, atualizado em 05/04/2022 15:09
Família dos Santos: Márcia, sua mãe, Katia e Juninho (da esquerda para a direita)
Família dos Santos: Márcia, sua mãe, Katia e Juninho (da esquerda para a direita) . Foto: Divulgação

Amigos e familiares de Jorge Luiz dos Santos Júnior, de 31 anos, estão promovendo campanhas para arrecadar recursos para a compra de seu medicamento, avaliado em cerca de R$ 16 mil. Juninho, como é conhecido, é autista e foi diagnosticado com leucemia mielóide crônica (LMC), em 2015. Atualmente, ele precisa de três caixas do medicamento por mês, o que implica um gasto mensal de aproximadamente R$ 48 mil à família. 

Como explicado pela irmã de Juninho, Katia dos Santos Vieira da Fonseca, de 43 anos, seu tratamento vinha correndo bem até a doença sofrer uma mutação, que só pode ser tratada com a administração de três comprimidos de Ponatinibe 15mg, por dia, no final do ano passado. Cada caixa do medicamento, que não é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), contém 30 comprimidos e, portanto, dura apenas 10 dias.

“O nosso Juninho foi diagnosticado com leucemia crônica em 2015. Nós descobrimos isso numa festa em que ele passou muito mal, vomitou duas vezes. Isso foi num sábado. No domingo ele desmaiou e levamos ele pro Hospital Memorial Fuad Chidid, no Engenho de Dentro. Ele passou o dia inteiro fazendo exames e quando ele veio para casa, já veio com um pedido para procurar com urgência um hematologista, para ver porque as taxas dele estavam tão alteradas. Na segunda-feira a gente conseguiu levá-lo e já o internamos. Ele passou 15 dias internado, estabilizou tudo e desde então tudo vinha transcorrendo bem, na medida do possível. Ele recebia a medicação, fazia exames de 15 em 15 dias, vinha sendo muito bem tratado. Só que com o passar do tempo os médicos foram vendo que os remédios não estavam mais fazendo efeito. Até que pediram um teste para ver se tinha sofrido mutação na leucemia e o resultado foi positivo. Aí começou nossa luta.”, elucidou Katia.

Desde que a mutação foi diagnosticada, a família de Juninho briga na Justiça pelo sequestro de verbas públicas para o pagamento de seu tratamento, que, nesse meio tempo, se manteve graças às doações de amigos e familiares. É importante ressaltar que a ausência do remédio pode levar a complicações graves no quadro do paciente e a subsequente necessidade de um transplante de medula óssea, para o qual é extremamente difícil encontrar doadores compatíveis.

“No início do ano passado, quando a gente teve essa surpresa negativa, foi um susto ainda maior que o primeiro. Saber que ele não teria assistência, não teria o medicamento através dos hospitais, que a gente teria que entrar na Justiça e tudo mais, mexeu bastante com a gente. Há um ano que a gente luta na Justiça e nesse um ano a gente só conseguiu dois sequestros de verba. Se nós não tivéssemos arregaçado as mangas e exposto a situação na internet, criado vaquinha e implorado doações como a gente faz desde então, se a gente não tivesse feito isso, a gente não sabe nem se o Júnior ainda estaria aqui, porque já tem um ano que a gente aguarda por esse medicamento, pela Justiça.”, desabafou Katia.

A dubladora Marcia Santos, irmã mais velha de Kátia e Juninho, conta que organizou uma campanha junto a outros dubladores do coletivo "Nossas Vozes" para arrecadar verbas para o tratamento dele. Nela, vozes familiares como Mônica Rossi, dubladora da personagem Meredith Grey de Grey’s Anatomy, Mirian Fischer, que dá voz à Joyce Byers de Stranger Things, e Gutemberg Barros, que dubla o Julius de Todo Mundo Odeia o Chris, pedem ao público que contribua para o tratamento do Juninho.

“Eu estava no estúdio e o diretor Flávio Back, me viu muito triste, calada. Ele veio falar comigo e eu contei o que estava acontecendo, que meu irmão estava correndo risco de vida, se não tomasse o remédio imediatamente, que era muito caro e a gente não tinha condições de comprar e que a gente estava esperando a justiça. E o Flávio falou, ‘não vamos esperar coisa nenhuma, deixa o advogado trabalhando que a justiça a gente já sabe que demora. Vamos fazer alguma coisa, vou falar com pessoal, vamos providenciar um vídeo com a galera toda, postar na rede e pedir ajuda aos fãs. A gente vai dar um jeito de conseguir esse remédio para o seu irmão.’ A gente participa de um projeto que se chama Nossa Vozes, e ajuda dubladores em situação de vulnerabilidade. Então todos os dubladores que fazem parte do projeto gravaram o vídeo, Nizo Neto, Garcia Junior, Mônica Rossi, Mirian Fischer, Gutemberg e muitos outros. Logo nos primeiros 15 dias a gente conseguiu comprar a medicação para um mês inteiro só com a campanha. Mas, agora estamos com dificuldades novamente, a justiça tá demorando muito e o remédio aumentou o preço.”, relatou Marcia.

Amiga de longa data de Kátia, a jornalista e escritora Roberta de Souza Pereira, de 40 anos, também resolveu ajudar através da promoção de uma rifa valendo um box com todos os seus livros. São eles a série de comédias românticas “Meninas de 30 (1 e 2)”, o livro de poemas “O Cavador do Infinito”, que traz em si ‘toda a alma da autora’, e a obra “Ella”, laureado na categoria de Melhor Drama pelo prêmio Ecos da Literatura 2021.

“Uma das irmãs do Juninho, a Katia, é minha amiga pessoal já de muitos anos e eles sempre fazem campanha pedindo ajuda e como a gente não tem como ajudar de uma forma muito significativa eu decidi fazer uma rifa com o que eu tenho que são os meus livros, para conseguir levantar um valor maior, que fizesse mais diferença dentro da necessidade deles.”, explicou Roberta.

Para participar da rifa digital “Todos pelo Juninho”, basta acessar o link https://rifa.digital/rifa/todos-pelo-juninho e comprar suas cotas, com cada uma saindo ao valor de R$15. Caso queira fazer sua contribuição diretamente à família, você pode fazer um PIX para a chave 21 99221 4266, número de celular de Marcia Santos, irmã mais velha de Juninho. Toda contribuição é muito bem-vinda.

*Sob supervisão de Cyntia Fonseca

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas