Pacientes são operados em 1º dia de mutirão para cirurgia de hérnia

Procedimentos são realizados no Hospital Municipal Luiz Palmier

Escrito por Redação 02/04/2022 15:07, atualizado em 02/04/2022 15:34
Cirurgias acontecem no Hospital Luiz Palmier
Cirurgias acontecem no Hospital Luiz Palmier . Foto: Divulgação/Renan Otto

A Prefeitura de São Gonçalo começou, neste sábado (2) o mutirão para cirurgia de hérnia no Hospital Municipal Luiz Palmier, no bairro Zé Garoto. Só no primeiro dia, 10 pacientes foram operados e as cirurgias vão seguir durante as próximas semanas. Por determinação do prefeito Capitão Nelson, as salas do centro cirúrgico foram reformadas para agilizar os trabalhos. O objetivo é acelerar o atendimento para zerar a fila de espera.

“Essa fila estava parada nos últimos anos, desde antes da pandemia. Muitos pacientes não tinham nem mais esperança de operar. Agora estamos iniciando esses mutirões para que eles possam ter de volta a qualidade de vida”, disse o prefeito.

O secretário de Saúde e Defesa Civil de São Gonçalo, Dr. Gleison Rocha, explicou a importância desse tipo de mutirão para quem está à espera da cirurgia no município. “Nós zeramos a fila da mamografia. E agora vamos zerar a fila da cirurgia de hérnia. E outras filas que tiver na Saúde, vamos trabalhar para que acabem também. As pessoas precisam do atendimento e não podem esperar. Muitos estão com a vida parada, sem poder trabalhar, ou fazer qualquer outra atividade, dependendo da cirurgia, e vamos trabalhar para agilizar isso”, garantiu.

É o caso do paciente Jeffite Ambrósio de Oliveira, de 28 anos. Ele é técnico de enfermagem e estava desde 2020 aguardando a cirurgia. “Eu estou bem ansioso aguardando para entrar no centro cirúrgico hoje, porque estou impossibilitado de exercer a minha profissão devido às fortes dores que sinto. Mas hoje isso vai acabar”, conta.

Elaine Cristini Araujo, de 44 anos, está desde 2019 na fila e, de acordo com ela, sentindo muitas dores. “Qualquer movimento causava dor. E estava ficando cada vez pior. A gente vai ficando impossibilitado de fazer tudo, trabalhar, fazer um exercício. Até atividades simples em casa. Agora finalmente chegou a vez de me livrar disso. Estou ansiosa, mas também muito feliz”.

Segundo o diretor da unidade, Lindemberg Soares, 370 pacientes já foram chamados para refazer os exames e se prepararem para a cirurgia. “Nós já operamos cerca de 65 pacientes e, hoje, no primeiro mutirão, estamos operando mais 10. Na lista de espera temos 2.577, mas estamos chamando um por um porque muitos pacientes já operaram em outro local. Mas não vamos parar até que todos recebam o atendimento. E encerrando as cirurgias de hérnia, vamos iniciar mutirões para outras cirurgias como vesícula, laqueadura e vasectomia”, disse.

O HLP conta com três salas para as cirurgias e pode realizar, durante a semana, seis operações deste tipo, sem que as eletivas de outras especialidades sejam prejudicadas.

 

| Foto: Divulgação
 


É importante lembrar que o mutirão vai atender as pessoas que já estão inseridas no sistema da Central de Regulação, que aguardam a cirurgia e passaram por procedimentos pré-operatórios.

O diretor médico do HLP, Dr. Roberto Avolio, agradeceu a colaboração de toda a equipe para a realização do mutirão. “Aqui não são só os médicos que fazem o trabalho. Existe toda uma equipe de enfermeiros, técnicos, pessoal do almoxarifado, equipe da limpeza. O trabalho de um depende do outro. Todos estão muito empenhados e motivados para a realização desses mutirões”, comemora.

Quem tem pedido médico para este tipo de operação pode ser inserido no sistema da Central de Regulação da secretaria em qualquer unidade de saúde da rede municipal. É muito importante que o gonçalense mantenha no cadastro um número de telefone atualizado para que o agendamento seja realizado.      

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas