Operação da polícia termina com sete presos, além de armas e drogas apreendidas

Ação aconteceu em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, nesta quarta-feira (13)

Escrito por Redação 13/01/2022 22:34, atualizado em 13/01/2022 22:34
Ação da polícia terminou com sete presos e materiais do crime apreendidos
Ação da polícia terminou com sete presos e materiais do crime apreendidos . Foto: Divulgação/Polícia Civil

Agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), de unidades do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) desencadearam, nesta quinta-feira (13), uma operação para cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão na comunidade Parque das Missões e regiões próximas, localizadas em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Sete pessoas foram presas, três fuzis, uma pistola, carregadores, artefatos explosivos e drogas foram apreendidos.

Um dos presos é o traficante responsável pela parte financeira de áreas controladas por Fernandinho Beira-Mar. Outro criminoso detido é o chefe do tráfico de drogas de diversas comunidades de Duque de Caxias. Os agentes também prenderam um traficante considerado "braço de guerra" de Beira-Mar.

A ação desta quinta-feira é resultado de investigações da DRE referentes ao tráfico de drogas em comunidades de Duque de Caxias. Segundo os agentes, a região funciona como verdadeiro reduto de Fernandinho Beira-Mar, onde os criminosos utilizam armas de grosso calibre - como fuzis -, granadas e pistolas em disputas territoriais contra facções rivais e contra forças de segurança. Os narcotraficantes também são investigados pela prática de roubos de cargas e de veículos, que são revertidos ao tráfico de drogas.

Segundo os agentes, a comunidade Parque das Missões estava sendo utilizada como base operacional por uma das principais facções criminosas do Rio de Janeiro para planejamento e execução de roubos de cargas e de veículos. Além disso, a região vinha sendo usada como entreposto para distribuição de armas e drogas pela Baía de Guanabara.

Os policiais também descobriram que a facção realizava festas, especialmente bailes funks clandestinos, no Parque das Missões para obter retorno financeiro, especialmente com o aumento do volume de drogas comercializadas. A ação desta quinta-feira evitou, ainda, um confronto planejado contra organizações criminosas rivais da Zona Norte da capital do Rio.​

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas